Acidente aéreo com a Chapecoense não é o primeiro no meio esportivo

Na manhã desta terça-feira, o futebol brasileiro amanheceu em luto. O avião que transportava a equipe da Chapecoense, que deveria chegar a cidade de Meddelín, acabou caindo na região da Antióquia, na Colômbia, situada a 30km de Medellín. Das 81 pessoas presentes no voo, 76 morreram, entre jogadores, comissão técnica e jornalistas.

Entre a equipe que estava no voo, estavam jornalistas da RBS, afiliada da Rede Globo, rádios de Santa Catarina e a equipe da Fox Sports, composta pelo comentarista Mário Sérgio, o narrador Deva Pascovicci, o comentarista Paulo Júlio Clement e o repórter Victorino Chermont.

O primeiro acidente aéreo foi com a equipe do Torino em 1949, na época era tetracampeã italiana e liderava o campeonato. Após retornar de um amistoso contra a equipe do Benfica, o avião devido a uma tempestade, acabou entrando em colisão com a basílica de Superga, em Turim, culminando na morte de todos os 18 jogadores.

Em 1958, a equipe do Manchester United, voltava de uma partida contra o Estrela Vermelha, na cidade de Belgrado, na Sérvia. O avião parou na cidade de Munique para abastecer, e após uma frustante decolagem, acabou batendo em uma casa, culminando na morte de oito atletas.

Há acidentes com seleções de futebol, como ocorreu com a Dinamarca em 1960, no qual oito membros da seleção morreram durante um acidente na decolagem do avião na cidade de Kastrup, na Dinamarca. Em 1993, a seleção da Zâmbia se preparava para as eliminatórias e iria enfrentar a seleção de Senegal, quando o avião que transportava todos os jogadores e comissão técnica pegou fogo, e matou todos os 18 jogadores.

Reportagem: Ulisses Carvalho

Foto: Agência Getty Imagens