O número de empresas que decretaram falência em Guarulhos cresceu em 2016. De acordo com o levantamento da Serasa Experian, divulgado ontem, 12 empresas fecharam as portas de janeiro a outubro deste ano – número 100% superior ao mesmo período de 2015.

No ano passado, seis empresas faliram. A pesquisa mostrou que nos dez meses de 2016 foram 14 empresas que pediram recuperação judicial no município. Esse sistema permite que a empresa tente evitar a falência. Em 2015, mais 13 companhias solicitaram a recuperação judicial.
O levantamento revela ainda que 30 empresas da cidade requereram falência em 2016, ante as 46 companhias do ano anterior. No Brasil, a Serasa informou que o número de pedidos de recuperação judicial entre janeiro e agosto de 2016 das empresas no país subiu 61,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

O indicador de falências e recuperações mostrou que houve 1.235 pedidos no período contra os 766, entre janeiro e agosto do ano anterior. Os números preocupam especialistas, pois a situação é decorrente de uma grave crise econômica que o Brasil enfrenta.
Segundo a advogada Carolina Di Lullo, a consequência desses pedidos faz com que os pequenos e médios investidores sofram com a maior parte das consequências. “Estas condições, atreladas à queda nas vendas ou serviços, necessidade de adimplemento de obrigações já contraídas e, levaram muitos empresários a acreditar que a recuperação judicial seria um mecanismo que permitiria a manutenção de sua atividade, ou seja, a sobrevivência”, afirmou Carolina.

A advogada ressaltou que a empresa pode pedir recuperação judicial quando ocorre endividamento tributário, bancário ou com fornecedores. “A empresa que pretender ingressar com pedido de recuperação judicial deverá apresentar ao poder judiciário uma petição inicial com a exposição das causas concretas da situação patrimonial do devedor e das razões da crise econômico-financeira”.

Reportagem: Leticia Lopes
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here