Reportagem: Antônio Boaventura

Apesar de existir uma decisão judicial, a jovem M.N.M., de 18 anos, portadora de paralisia cerebral, encontra dificuldades para obter da Prefeitura de Guarulhos insumos essenciais para a realização de seu tratamento. O último fornecimento dos itens recomendados foi realizado pela administração municipal no último dia 2 de janeiro.

Ela recebe o auxílio desde 2012 e necessita mensalmente de 200 fraldas do modelo Pom Pom Grande, 30 litros de leite Ninho e bandagem elástica. Entretanto, Lourival Marinho, pai da jovem, relatou que os problemas começaram a partir do mês de agosto do último ano, quando o governo do então prefeito Sebastião Almeida alegava não ter os itens disponíveis para o seu devido atendimento.

“É sempre a mesma conversa. Dizem que estão vendo com os fornecedores e a minha filha não pode esperar por fornecedor. No ano passado fiquei 4 meses sem receber, e esse ano já começou mal”, disse Marinho.
A prefeitura informou que a compra da fralda e do leite estão passando por um novo processo de compras, porém, sem divulgar qualquer prazo para fornecimento dos itens. Quanto a bandagem, a Secretaria de Saúde afirmou que a mesma deve ser retirada, desde que esteja com a receita e seu prazo de validade atualizada, a cada dois meses.

“Parece ser uma coisa simples, mas para quem não tem como comprar, isso se torna difícil. Outros falam que estão fiscalizando para ver se não tem fornecimento desnecessário. Mas, eu acho, que a fiscalização pode acontecer, mas sem o corte daqueles que necessitam de verdade”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here