Reportagem: Antônio Boaventura

Problema recorrente na cidade ao longo dos últimos anos, a prestação de serviço na área da saúde é alvo de críticas do Simesp (Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo). O presidente da entidade, Éder Gatti, ressaltou a necessidade da promoção de uma reestruturação no sistema municipal de Saúde. Já o líder do governo na Câmara Municipal, Eduardo Carneiro (PSB), prometeu continuar o processo de fiscalização.

“A saúde em Guarulhos acumula problemas, e não é de hoje. Mas, está numa situação muito crítica neste momento. A remuneração dos colegas de Guarulhos está muito longe de ser a melhor do estado, e a gente também conta com problemas como falta de insumos e medicamentos que comprometem a execução do trabalho dos profissionais”, declarou Gatti.

O presidente do Simesp também criticou as condições ofertadas pelo governo municipal aos profissionais que atuam nas unidades de saúde do município e defendeu melhorias na gestão. Com exceção do HMU (Hospital Municipal de Urgências), as demais unidades têm suas gestões terceirizadas.

“Podemos citar que o HMU teve plantões em que faltaram gesso e medicamentos básicos para atender a população. A saúde em Guarulhos precisa melhorar os recursos, gestão e principalmente oferecer condições para as profissionais trabalharem de forma adequada”, disse.

Em contrapartida, o líder do governo defendeu a necessidade de o chefe do Executivo e os vereadores fiscalizarem os serviços públicos. “Vamos continuar fazendo visitas sem esquecer de, ao mesmo tempo, fortalecer a relação entre a prefeitura e os profissionais, e entidades da saúde”, garantiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here