Projetada há 10 anos, arquibancada do estádio Antonio Soares continua inativa

O estádio municipal Antônio Soares de Oliveira, no Jardim Tranquilidade, tem capacidade para pouco mais de 6 mil pessoas. No entanto, a interdição de uma das arquibancadas laterais, projetada há 10 anos, reduz as condições de ocupação de sua totalidade.

Em meados de junho de 2014, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) considerou irregular a prestação de contas da construção da arquibancada lateral. Naquela ocasião, o órgão entendeu ser irregular a contratação da Proguaru pela prefeitura sem a realização de processo licitatório. O contrato da obra foi assinado em 2007 com um custo de R$ 12 milhões.

Além dos problemas administrativos, a orientação do Corpo de Bombeiros para a liberação daquela parte do estádio está voltada para a adequação da área que compreende a arquibancada e a instalação de equipamentos de segurança.

“Precisamos liberar as saídas de emergências e arrumar o vão que fica embaixo da arquibancada. Precisa também colocar um guarda-corpo na arquibancada por ela ser inclinada”, declarou o secretário-adjunto de Esporte, Ilton Roque, o Tom.

De acordo com o dirigente da administração, existe a possibilidade daquela parte inativa do estádio ser entregue até o final deste ano. Entretanto, Roque não revelou de que forma e quanto irá custar as benfeitorias a serem realizadas.

“Nós já fizemos uma vistoria junto com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, e a Secretaria de Obras está providenciando a liberação desta arquibancada. A gente acredita que isso possa acontecer ainda este ano”, previu.

Reportagem: Antônio Boaventura
Foto: Ivanildo Porto