Barreto afirma que pancadões servem para fomentar o crime organizado na periferia

O clima é de guerra. Nos últimos meses, o vereador Eduardo Barreto tem declarado guerra aos idealizadores dos bailes funks e pancadões no município. Na noite da última terça-feira (18), a Câmara Municipal realizou audiência pública para discutir o tema, e contou com grande presença de populares.

“Esses pancadões levam para os locais onde são realizados o crime de toda estirpe. A gente tem relatos que mostram estupros, drogas, pessoas armadas e pessoas chegando aos locais com carros roubados ou furtados. Na verdade, estes estão sendo pano de fundo para a criminalidade e rentabilidade do tráfico”, explicou Barreto.

Contrário aos pancadões, o parlamentar entende que uma das saídas para coibir esses eventos passa pela criação de alternativas culturais e esportivas, que segundo ele, poderiam ser implementadas pelo governo municipal.

“O número de jovens que não tem nenhuma formação, nenhum entendimento real do que é a cidadania é muito grande. Esses jovens ficam à mercê de um pano de fundo como se fosse um evento cultural. Mas, na verdade estão sendo usados para aumentar a rentabilidade do crime organizado”.

Barreto também acredita que o direito constitucional de ir e vir de qualquer deva ser preservado. E para isso, o mesmo pretende sugerir a criação do “Disk Pancadão”, para que a população possa denunciar, de forma anônima, o local desses eventos.

“Moradores se sentem incomodados por que geralmente os bailes começam ás 23h e atravessam a madrugada. Podemos construir opções de lazer para que estes jovens possam ocupar os logradores públicos de forma organizada”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]

Foto: Ivanildo Porto