Share
Sindicalistas e guardas se enfrentam durante sessão da Câmara Municipal

Sindicalistas e guardas se enfrentam durante sessão da Câmara Municipal

Legislativo: Houve tumulto, principalmente na galeria que estava superlotada de sindicalistas

Ingredientes não faltaram para apimentar os trabalhos dos vereadores de Guarulhos durante a sessão desta terça-feira (25) da Câmara Municipal. Integrantes de diversas centrais sindicais de Guarulhos travaram um verdadeiro embate com agentes da Guarda Civil Municipal (GCM), que controlava o acesso no Legislativo.

Com a galeria totalmente tomada, os sindicalistas solicitaram o apoio dos parlamentares para a paralisação de atividades consideradas essenciais, como o serviço de transporte público, nesta sexta-feira (28), quando foi marcada uma greve geral no país.
“Este é o segundo parlamento mais importante do estado, e estamos aqui para pedir o apoio dos vereadores. Até por que estamos em um momento de decidir de que lado estamos. É só isso. Aliás, é o povo e o trabalhador que paga o salário de cada vereador”, disse o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Josinaldo Barros.

No entanto, a entrada ao plenário não foi das mais fáceis. Por conta da lotação, a GCM foi acionada e impediu que houvesse uma superlotação do local, inclusive, com enfrentamento entre as partes. Os ânimos acirrados na parte externa, logo contagiou o ambiente internamente. Tumulto, tensão e apreensão foram características dos trabalhos no plenário desta terça-feira.

Dos 34 vereadores, 28 assinaram o manifesto de apoio ao movimento sindicalista contra as reformas trabalhistas e previdenciárias propostas pelo governo federal. Entre os que não assinaram estão Eduardo Carneiro e Wesley Casa Forte, ambos do PSB, que decidiu na segunda-feira (24) não apoiar as medidas propostas por Temer.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

Deixe seu Comentário