Share
Depois de 15 dias da terceirização, pacientes ainda  questionam atendimento do HMU, HMCA e Policlínica

Depois de 15 dias da terceirização, pacientes ainda questionam atendimento do HMU, HMCA e Policlínica

Reclamações: Mesmo depois da terceirização e administração do Instituto Gerir em três unidades de saúde, os pacientes ainda reclamam da demora no atendimento

Mesmo com a chegada do Instituto Gerir há cerca de 15 dias na cidade, após o prefeito Guti (PSB) ter anunciando a terceirização do Hospital Municipal de Urgências (HMU), Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA) e na Policlínica Paraventi, o atendimento nestas unidades de saúde ainda recebem reclamação dos pacientes ouvidos pelo HOJE.

“O problema aqui no HMU é a pouca quantidade de médicos. Entendo que deveria ter mais profissionais, até por que, no meu caso e acredito também que outras pessoas também estejam nesta condição, fui encaminhada da UBS da Vila Rosália porque não tinha condições de me atender lá”, disse uma paciente que não quis se identificar.

Na Policlínica Jardim Paraventi as queixas foram relacionadas ao tempo de espera por atendimento. Entretanto, alguns pacientes afirmaram que não há mais falta de medicamentos e insumos como em outras oportunidades. O aposentado João Pereira dos Santos, 80 anos, que acompanhava sua esposa, apontou a demora pelo atendimento como principal problema. “Chegamos cedo para evitar a fila de espera, mas acabou demorando o atendimento. Nos explicaram que ocorreu um problema de sistema, mas não sei”, disse Santos.

O caso mais crítico foi encontrado pela reportagem no Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA), no Centro. Por lá, pacientes revelaram que o tempo médio de atendimento seria de quatro horas, além de criticar a forma de atendimento dos profissionais daquela unidade de saúde.
“O atendimento é muito ruim. O meu filho está com bronquiolite e precisa tomar regularmente o medicamento e estão dando fora de hora. Assim não melhora nunca. O ambiente é muito frio para quem está com o problema nesta natureza”, reclamou a correspondente bancária, Ana Cláudia, 28, que tem seu filho de 8 anos internado no HMCA.

Procurada, a Prefeitura de Guarulhos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde não se manifestou sobre o assunto. Já o Instituto Gerir, via assessoria de imprensa, se negou a responder os questionamentos encaminhados pela reportagem.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br
Foto: Ivanildo Porto

2 Comentários neste post

  1. Fatima Alves

    A saúde de Guarulhos está um caos uns do Paraíso não tem pedriata.

    Responder
  2. Daniela Ferreira

    Bom dia. Como faço para encaminhar um curriculo? Sou técnica em enfermagem.

    Responder

Deixe seu Comentário