Acusado de assassinar a auxiliar de limpeza Evelyn Christine Bueno Pereira, 24, no dia 26 de maio, próximo a marginal do rio Baquirivu, Diego dos Santos, 28, foi solto pela Polícia Civil por falta de provas. Ele deixou o 1º Distrito Policial (Centro) na noite de segunda-feira (5). O acusado foi preso dois dias depois do crime, quando estava na rua Jerônimo Monteiro, região do Taboão.

Após reconhecimento de uma testemunha, Santos teve a prisão temporária decretada, e ficou na carceragem do 1° DP. O acusado manteve contato telefônico com a redação do HOJE e explicou que dois fatores foram determinantes para sua liberação: as imagens da câmera de segurança de um supermercado e, também, o fato dele ter um problema físico em uma das pernas, após sofrer acidente de moto. Uma testemunha teria alegado que após atirar contra Evelyn, o criminoso teria escapado correndo.

“As câmeras de um supermercado na região do Soberana, comprovaram minha inocência, pois a primeira imagem registra eu chegando próximo ao local da casa da minha namorada às 2h15, e segunda, mostra eu saindo às 7h15”, disse Santos.
O jovem afirmou que nunca teve contato com a vítima, porém, alegou que mantinha uma amizade com o ex-marido de Evelyn, Antônio Carlos de Araújo. Santos trabalha como operador de Bobcat, uma mini-carregadeira, onde está afastado há um ano após acidente de trabalho.

Após a soltura, e a liberação por parte do delegado Alexandre Gargano, do 9°DP, o jovem confessa que pretende no momento processar o estado, após passar pelo constrangimento de ficar preso.

Reportagem: Ulisses Carvalho
ulissescarvalho@grupomgcom.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here