Vereador Lamé deve ser exonerado do cargo de 2º vice-presidente da Câmara pós-recesso

O presidente da Câmara Municipal, Eduardo Soltur (PSD), pretende exonerar da 2ª vice-presidência do Legislativo, o vereador licenciado Lamé (PMDB), atual secretário de Assuntos Difusos, após o recesso parlamentar. O cargo na Mesa Diretora está vago desde meados de maio.

Em entrevista exclusiva ao HOJE no último dia 12, o secretário afirmou que não pretende renunciar ao cargo. Ele entende que a Casa de Leis deve ter prudência no caso e aguardar o desenrolar de sua gestão no Executivo, já que o mesmo não descartou a possibilidade de retorno a Câmara Municipal.

Para que a 2ª vice-presidência possa voltar a ser ocupada, é necessário que o titular renuncie ao cargo e na sequência a Câmara promover uma nova eleição entre os vereadores para conhecer o substituto. Caso a renúncia não aconteça, o presidente da Casa de Leis pode optar pela exoneração do parlamentar que ocupa a função.
“O vereador Edmilson Souza (PT) já fez o projeto de modificação do Regimento Interno pedindo a mudança. Mas, se infelizmente não puder votar o projeto, eu vou ter que exonerar”, declarou Soltur.

O presidente ressalta que somente o fato de Lamé estar desempenhando uma função no Executivo já o permite exonerar do cargo em que foi eleito no Legislativo. Entretanto, Soltur acredita que o imbróglio possa ser solucionado no retorno do recesso parlamentar, em agosto.

“Não existe, hoje, a figura do 2º vice-presidente, mas sim um cargo que está vago. Então, infelizmente, vamos ter que usar a força da caneta e tirar esse cargo do Lamé, além de colocar em votação [o projeto]. Isso depois do recesso”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]