Artista acusa Igreja Católica de censurar duas obras em exposição no Adamastor

O artista plástico Ailton Diller Malaquias, morador do Pimentas, acusa a Igreja Católica em Guarulhos de pressionar o poder público para a retirada de dois quadros da exposição “Mitra, Food Truck em nome de Deus”, composta por 11 pinturas a óleo e acrílicas, em exposição no Adamastor até 10 de setembro. Ele explica que suas obras “procura mostrar o resultado do conflito entre crer em algo, em si, ou em nada”. E questiona a participação no universo cultural religioso com temas que envolvem o uso da fé para deturpar o pensamento das outras pessoas.

Dois quadros foram censurados e retirados da exposição nesta quarta-feira (9).  “Duas obras em especial foram diretamente atacadas como repugnantes. Uma aborda a pedofilia na igreja e a outra o modo sujo de como alguns líderes religiosos vendem a imagem de Cristo”, explicou o artista.

Malaquias afirmou ter recebido diversas ofensas nas redes sociais, onde internautas, se dizendo integrantes da Igreja Católica, exigiram a retirada dos quadros. “Sou de família católica, não tenho nada contra a religião, mas sou contra a hipocrisia religiosa”, enfatizou.

Além dos dois quadros, a Prefeitura de Guarulhos também retirou o texto informativo sobre a exposição no site. No final da tarde desta quinta-feira (10), Malaquias compareceu ao salão de exposições do Adamastor, onde expôs no espaço das obras retiradas, duas faixas escritas “obra censurada”. “Aceito repudio ou que a pessoa possa discordar da história, promovo diálogo, mas censurar é coisa de ditadura”, afirmou o artista. O significado do nome da exposição, segundo o autor, é uma crítica aos maus líderes religiosos e também o fato de a responsabilidade nunca ser do ser, sendo sempre justificada em nome de Deus ou do Diabo.

 

Prefeitura diz que conteúdo era inapropriado e Diocese de Guarulhos mantém o silêncio

O HOJE contatou a Diocese de Guarulhos a respeito da acusação do artista, que não se pronunciou até a conclusão desta edição. Já a prefeitura, informou que os quadros foram retirados por apresentar conteúdo  inapropriado ao público, mas informou ao artista sobre a decisão de forma transparente sobre os motivos da medida.

Em nota, explicou o seguinte: “A prefeitura informa que duas das obras do artista plástico Ailton Diller Malaquias foram retiradas da exposição ‘Mitra, Food Truck em nome de Deus’, porque seu conteúdo era inapropriado ao público que circula pelo hall de exposições do Adamastor Centro. Embora a classificação etária fosse 16 anos, isso não impediu que pessoas (pais e responsáveis) com crianças se sentissem incomodadas pela facilidade ao acesso visual das obras, não havendo, portanto, qualquer manifestação contrária por parte de entidades religiosas de qualquer segmento”.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Fotos: Reprodução Ivanildo Porto