Populares aprovam possível privatização dos parques públicos da cidade

Usuários dos parques municipais aprovam a possibilidade de privatizar a gestão das reservas. A prefeitura pretende colocar em prática o Plano Municipal de Modernização Administrativa (PMMA), que tem como objetivo conceder e permitir serviços e obras em bens públicos sob a justificativa de aprimorar a administração dos logradouros públicos.
Populares ouvidos pelo HOJE nos parques Bosque Maia, na região central da cidade, e Fracalanza, na Vila Augusta, apontaram o abandono como principal motivo para que haja o repasse da administração pública à iniciativa privada. Eles entendem que os serviços ofertados tendem a ter uma melhor qualidade.

“É uma situação difícil. Desde que seja para melhorar e o que podem trazer para o parque, sim. Se converter isso em melhorias para a população, eu estou de acordo. Tem muito potencial a ser explorado aqui”, disse o comerciante e frequentador do parque Bosque Maia, Fábio Aranda.
Frequentador assíduo do parque Fracalanza, o aposentado Mário Filho acredita que a proposta possa beneficiar os usuários do parque. Ele enxerga a possibilidade de melhoria na infraestrutura.

“Eu acho que tudo aquilo que é feito para melhorar eu concordo. A preservação e conservação dos equipamentos podem ter mais controle e apresentar melhores condições. Tem épocas que estes ficam abandonados”, explicou Filho.
Em contrapartida, o Governo Municipal, através da secretaria de Meio Ambiente, revelou que a cidade possui 17 parques públicos. Entretanto, afirmou que os custos de preservação e manutenção destes logradouros passam por um levantamento detalhado.

Antônio Boaventura
[email protected]
Foto: Ivanildo Porto