Adestramento pode melhorar o comportamento dos cães

Fazer com que o cachorro responda a comandos simples como “senta”, “espera”, “fica” e “vamos” é o que todo tutor espera. Isso porque a maioria das pessoas ao adquirir um cãozinho espera que o mesmo saiba se comportar dentro de casa e também se socialize com os demais animais e pessoas.

Para isso o adestramento vem ganhando cada vez mais importância para a maioria dos tutores. “Conseguimos uma integração melhor do cão com o ambiente ao redor. Dessa forma, o animal fica mais sociável com as pessoas e outros cães”, afirmou o adestrador Anderson Brisola Roque.
Adestrando cães há 20 anos, Roque explica que antigamente os animais eram obrigados, durante o adestramento, a executar as funções pedidas pelo tutor. Hoje em dia isso mudou e os cães são adestrados baseados no reforço positivo que valoriza as ações corretas do animal e desvaloriza as incorretas. É uma forma de educar o cão por meio de recompensas.

Dessa forma, quando o animal obedece a uma ordem ou tem uma atitude correta ele ganha um petisco. Isso faz com que ele assimile a informação mais rápido e tenha vontade de aprender. “Treinamos com o uso de petiscos, que é um método que surgiu na Alemanha. Com isso conseguimos ensinar o animal para show, truques, ser sociável, obedecer, entre outros”, explicou Roque que ressaltou que qualquer animal, independente da idade pode ser adestrado.

Os exercícios de adestramento são, ainda, capazes de ensinar concentração ao pet, promover a prática de exercícios físicos e mostrar ao animal o que fazer quando o seu dono está ausente ou ocupado.

Os primeiros passos

Existem alguns passos iniciais para quem quer adestrar o cachorro desde seu nascimento. Os truques são as primeiras indicações para o cãozinho ser adestrado. Para instiga-lo a sentar o tutor deve segurar um petisco na frente do animal e fazer movimentos levantando a mão até que ele se sente.
Já para fazê-lo dar a pata, basta bater com os dedos em uma das mãos, indicando que a pata dele deve ser colocada no lugar apontado. E para deitar é só ir abaixando a mão até que o cão se deite. Para ele entender que isto é o que o tutor espera dele, dê o petisco no fim da ação.

Além disso, para o adestrador Flávio Corrales, é importante que o tutor inicie os exercícios de obediência enquanto o animal ainda é filhote. “Pode-se começar com ações como fazer o filhote esperar a hora de comer, não avançar no prato de comida sem que o tutor autorize, dando, assim, limites. Quando contratar um adestrador já vai ter um início provavelmente mais fácil”, destacou Corrales, adestrador há 15 anos.

Foto: Ivanildo Porto