A superlotação dos cemitérios municipais é uma das preocupações da gestão do prefeito Guti (PSB), que estuda a implantação do sistema vertical, seja ele de forma subterrânea ou superior, como medida de ampliar as oferta de jazigos na cidade. A proposta pode ampliar a vida útil dos espaços em até 20 anos.
“O estudo que estamos fazendo é se o vertical será pra cima ou pra baixo. Em muitos países encontramos os dois. Este é o estudo que o nosso grupo de arquitetos e engenheiros estão trabalhando. Estamos pegando informações com outros cemitérios que já tem os dois sistemas pra dar continuidade aqui no Vila Rio da melhor forma”, disse Loredana Glasser, secretária de Serviços Públicos.

Dos quatro cemitérios administrados pela prefeitura – Necrópole do Campo Santo (Vila Rio), São João Batista, São Judas Tadeu e Nossa Senhora do Bonsucesso, que serve de laboratório para o governo municipal relação à verticalização. Naquele espaço, esta condição proporcionou uma ampliação de quase 500% sua capacidade de sepultamento.

“Nós já temos um vertical que é em Bonsucesso, que teve este processo iniciado na gestão anterior e demos sequência. Lá, nós estamos a todo vapor. Estamos fazendo no Bonsucesso esse processo com materiais comprados por eles. Mas, estamos procurando algo mais em conta”, disse a dirigente.
Loredana também ressaltou que o próximo passo é viabilizar a implantação deste sistema no cemitério Necrópole do Campo Santo, no Vila Rio. O numero total de sepultados no município de Guarulhos é de 41.225. São sepultadas em média 20 pessoas por dia.

“A gente pretende fazer no Vila Rio, mas estamos em estudo sobre essa possibilidade. O prefeito tem uma preocupação muito grande pra que a gente jamais fique. No ano passado fizemos uma quantia em caso falte a gente tem ali, obviamente o custo é bem maior para a prefeitura”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br
Foto: Ivanildo Porto

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here