Moradora de Guarulhos morre de febre amarela contraída em Piracaia

Assunto: Campanha de Vacinação contra a Gripe Local: CECAP Data:04.05.2015 Foto: Fabio Nunes Teixeira

Uma mulher de 60 anos, moradora do Jovaia, faleceu no último dia 11 no hospital da Unicamp, em Campinas, em decorrência de febre amarela, contraída no município de Piracaia, próximo a Atibaia, onde esteve entre os dias 30 de dezembro e 4 de janeiro. Este é o quarto caso de óbito envolvendo pessoas de Guarulhos desde o mês de dezembro. A guarulhense retornou a Piracaia no dia 6, onde passou mal e foi encaminhada para a internação, vindo a falecer.

Os quatro moradores de Guarulhos que morreram foram infectados pelo mosquito em outras cidades (dois em Atibaia e um em Nazaré Paulista, além deste em Piracaia), onde o mosquito transmissor da doença está presente em áreas de mata.

Ações preventivas:

Desde outubro, quando houve os primeiros casos de mortes de macacos infectados por febre amarela em áreas próximas à Serra da Cantareira, a Prefeitura de Guarulhos vem adotando uma séria de medidas preventivas, entre elas a vacinação da população que mora nas proximidades das áreas de risco ou frequenta essas regiões. Até o momento já foram imunizadas mais de 500 mil pessoas, número que supera a meta definida pelo Governo do Estado, que estabeleceu a administração de 300 mil doses no município.

Atualmente, 30 Unidades Básicas de Saúde da cidade oferecem as doses contra a febre amarela: Palmira, Continental, Vila Rio, Morros, Santa Lídia, Seródio, Haroldo Veloso, Carmela, Lavras, Soberana, Ponte Alta, Santa Paula, Álamo, Aracília, Piratininga, Cambará, Cabuçu, Recreio São Jorge, Novo Recreio, Belvedere, Primavera, Acácio, Bananal, Santos Dumont, Fortaleza, Água Azul e Bambi, além das UBS Munhoz, Cavadas e Ponte Grande, que são unidades temporárias de vacinação para bloqueio da febre amarela na região.

Já o Ambulatório da Criança (Centro) e a UBS Cecap são unidades que emitem Certificado Internacional de Vacinação. Portanto, elas somente vacinam as pessoas que viajarão para locais de risco, mediante comprovação de viagem marcada (passagens, reservas de hotel, entre outros).

Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG