Escola estadual no Jardim Centenário utiliza o Carnaval como mecanismo de integração entre os alunos

Em diferentes nichos da sociedade, o Carnaval pode ter significados distintos. Mas, não para a Escola Estadual Padre João Nunes, localizado no bairro do Jardim Centenário. Neste período de intensos festejos, a unidade educacional utiliza a festa popular como ferramenta de integração dos alunos e reduzir a distância social que possa existir entre eles.

“O Carnaval é uma grande festa, além de ser a maior do planeta. Essa é uma tradição que a escola mantém ao longo dos anos, e acontece por conta da pluralidade que temos na escola. Conseguimos trabalhar raça, cor e credo. Esse é um dia que eles podem se realizar através dos personagens que têm maior simpatia”, disse Jaqueline Freitas, professora de ciências.

O evento estudantil acontece em uma data específica em dois períodos – manhã e tarde, sempre na sexta-feira “considerada” de Carnaval. A escola que atende cerca de 1500 alunos a partir dos 6 anos de idade, obteve a média de 5,57 no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo).
Além de prezar pela qualidade do ensino, a unidade de ensino dirigida pelo professor José Geraldo, tem como objetivo trabalhar a diversidade cultural, além do respeito à crença religiosa de cada indivíduo.
“A gente tem uma escola que preza a diversidade. Como o nosso país é multicultural, essa questão da aceitação dos jovens dessa multicultura, ainda, é muito complicado. Na nossa comunidade, as crianças se dividem em grupos, e quando se trabalha a pluralidade você tem resultados práticos”, explicou João Paulo, professor de língua portuguesa.

- PUBLICIDADE -