Com forte gripe, Sabrina Sato tomou injeção e antibióticos para desfilar pela Gaviões

Com forte gripe, Sabrina Sato tomou injeção e antibióticos para desfilar pela Gaviões

Sabrina Sato, 37, foi um dos momentos mais esperados na avenida do Sambódromo do Anhembi como madrinha da bateria da Gaviões da Fiel, na madrugada deste domingo (11).
Com uma forte gripe, a madrinha da bateria afirmou a reportagem estar a base de injeção e antibióticos. “Na hora vem tanta emoção que nem senti nada. Se me vissem antes no hotel, sem ‘make’ nem nada, não me reconheceriam”, ri.
Segundo Sabrina, sua fantasia, inspirada em corais e escamas de peixe, pesa uma média de oito quilos e parecia “mais pesada a cada metro percorrido”. “Mas devo levar em conta minha resistência mais baixa com essa gripe -não dá para parar por conta disto.”

A apresentadora sambou só diante da bateria, sem a presença de Renata Teruel e Tati Minerato, expulsas do desfile após desentendimento em um ensaio técnico da escola.
“Senti falta da Renata e da Tati, sou uma pessoa dependente, gosto de dividir e de ter companhia constante”, desabafou Sabrina. “Acho também que quando a gente se une tudo fica melhor. Infelizmente isso aconteceu, mas é no momento das dificuldades que tiramos forças”, afirma.

Sabrina diz que teve uma responsabilidade grande em levar a bateria adiante mas afirma respeitar a decisão da escola, e que espera que elas se entendam. “Já desfilo há oito anos no Rio com essa responsabilidade de ser apenas uma diante da bateria, inclusive este ano convidei até minha professora para desfilar ao meu lado. Acho melhor e ela adorou”, afirma.

Este é o 15º ano que a musa faz parte do desfile das Gaviões onde diz ter orgulho e respeito. “Nessa escola eu já fiz de tudo, são 15 anos de uma história linda.”
Neste domingo (11), Sabrina ainda desfilará como rainha de bateria da Vila Isabel, escola do Rio de Janeiro.

(Folhapress)
Foto: Reprodução TV Globo

Deixe seu Comentário