Foi preso na noite deste domingo (11), Vinicius Parizatto, 36, analista de sistemas, condenado por obrigar dois jovens a pular de um trem em movimento na Estação Brás Cubas, na região de Mogi das Cruzes. O crime ocorreu em 2013, e na ocasião, um jovem de 20 anos morreu e outro perdeu o braço. A prisão do analista ocorreu no km 28 da rodovia Ayrton Senna, em Guarulhos.

De acordo com a PM, no momento em que foi realizada a abordagem de rotina, Parizatto já teria afirmado que havia perdido um recurso criminal, e que talvez estivesse procurado pela justiça, já que respondia em liberdade, porém, perdeu o recurso na Justiça, sendo condenado a 31 anos, nove meses e três dias em dezembro do ano passado, quando passou a ser considerado foragido da Justiça.

Parizatto estava com a namorada, e segundo a PM, retornava para a casa após comparecer a uma igreja evangélica na região de Itaquera. O condenado foi levado pelos policiais militares até o 4° Distrito Policial, onde passou a noite na carceragem, e na manhã desta segunda-feira (12), foi transferido para a carceragem do 1° Distrito Policial, onde aguarda preso por uma vaga em uma penitenciária de São Paulo.

Além do analista de sistemas, no momento em que ocorreu o crime, também estavam com o condenado Danilo Gimenez Ramos e Juliano Aparecidas Freitas, que foi condenado a 24 anos e seis meses de prisão, e cumpre a pena desde 2015. Já Ramos, aguarda em liberdade o julgamento de um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF).

Os três estariam vestidos como skinheads no momento do crime. De acordo com a denúncia do Ministério Público, os três teriam ameaçado os dois jovens na estação, falando que se não pulassem, iriam morrer. A defesa dos acusados nega e diz que os jovens pularam por vontade própria.

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here