Além de aumentar a segurança e criar facilidade ao permitir o acesso a bilhetes unitários, os equipamentos fazem parte do projeto de celebração dos 50 anos da Companhia do Metropolitano de São Paulo. “A iniciativa oferece mais uma possibilidade para que o usuário tenha rapidez ao adquirir o bilhete. Até junho, serão instaladas 150 máquinas de venda automática, inicialmente com dinheiro”, explica o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni. “Os equipamentos estarão presentes em todas as estações do Metrô. Foram investidos R$ 24 milhões, cofinanciados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento”, acrescenta.

Para a comemoração do cinquentenário, foram criados bilhetes especiais com desenhos alusivos à cidade de São Paulo, utilizando marcos e monumentos históricos facilmente acessíveis pela rede metroviária: Praça da Sé, Theatro Municipal, Pacaembu/Museu do Futebol, Memorial da América Latina, Mercado Municipal, MASP e Centro de Controle Operacional do Metrô.

Os itens comemorativos só serão vendidos nos novos equipamentos e poderão ser utilizados nas linhas de bloqueio das linhas 1, 2, 3 e 5. Ao todo, serão 150 máquinas automáticas disponíveis em todas as estações do Metrô nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha até julho.

Inovação

O primeiro lote, com 30 máquinas, entra em funcionamento nas estações Vila Madalena, Sumaré, Clínicas, Trianon-MASP e Consolação, da Linha 2-Verde. A próxima remessa, entregue em abril, terá equipamentos instalados nas estações Consolação, Trianon, Brigadeiro, Chácara Klabin, Paraíso e Sé.

No primeiro momento, as máquinas só aceitarão dinheiro em espécie (notas e moedas) com troco máximo de R$ 10. Embora existam máquinas que vendam bilhetes unitários em outros metrôs do Brasil, a grande inovação do EVBA é que o equipamento possui um sistema inteligente de fornecimento de troco e atende o usuário em três idiomas: português, inglês e espanhol.

Os bilhetes vendidos nas EVBAs são muito mais resistentes e possuem recursos de segurança semelhantes às cédulas de dinheiro, o que dificulta a fraude ou falsificação. O grafismo na impressão apresenta cores e formas que, quando copiados, não reproduzem a imagem adequadamente. Os itens também são impressos com uma tinta ultravioleta, que revela símbolos quando expostos à luz ultravioleta. No da Praça da Sé, por exemplo, a imagem que surge é a do Marco Zero de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here