Prefeitura e Gru Airport inauguram usina que transforma óleo residual em biodiesel

Assunto: Inauguração do Bioplanet Local: Passagem Dois, 240, Água Chata Data: 27.07.2018 Foto: Fabio Nunes Teixeira

A Prefeitura de Guarulhos e a Gru Aiport inauguraram na manhã desta sexta-feira, dia 27, uma Planta Biodiesel no bairro Água Chata. A instalação permite a produção de biodiesel e sabão ecológico a partir de óleos e gorduras residuais, como por exemplo óleo de cozinha utilizado em restaurantes e residências, e será a primeira no Estado de São Paulo a realizar esse processo de transformação sem utilizar água.
A usina surgiu quando o Projeto Bioplanet, da empresa Biotechnos, foi selecionado no I Edital de Seleção de Projetos Socioambientais do Gru Airport e Instituto Invepar. A Prefeitura cedeu o terreno e a concessionária do Aeroporto de Guarulhos investiu pouco mais de R$ 1,3 milhão na construção do local de 15 m x 10 m, com pé direito mínimo de 5,5 metros. “Tenho certeza que o dia de hoje deixará um legado de transformação para o nosso município. Cada um fez um pouco para que chegássemos nesse marco. As pessoas ganham com a possibilidade de conseguirem uma renda maior, o meio ambiente ganha e a cidade também é beneficiada”, afirmou o prefeito Guti durante a inauguração.

A tecnologia inovadora utilizada na planta, que irá permitir a produção de mil litros de biodiesel por dia em uma jornada de trabalho de 8 horas, foi desenvolvida pela Biotechnos em parceria com um instituto alemão em 2008, segundo a diretora da empresa, Márcia Werge. “Procuramos realizar projetos não só ambientais, mas também de inclusão social Quando houve a oportunidade deste edital aberto pela Gru, inscrevemos o projeto”, completou Werge.

Para o secretário de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação, Rodrigo Barros, a Planta Biodiesel é um projeto não só de parceria da Prefeitura com o aeroporto, mas também com a sociedade. “A grande vitória do projeto foi trazer a sociedade civil para perto. Quero parabenizar os cooperados que hoje começam uma nova história, não só pelo trabalho que será realizado, mas também pelo que essa planta representa para o desenvolvimento sustentável da nossa cidade”. (SDCETI).

Inclusão social e oportunidade

Selecionada por edital, a Planta Biodiesel será operada pela Coop-Reciclável -Cooperativa de Catadores da Área de Materiais Recicláveis, formada por cerca de 60 cooperados. Entre os integrantes, 80% são mulheres, incluindo haitianas refugiadas que hoje vivem em Guarulhos. “Faz dois anos que vim para o Brasil e estou há um ano na cooperativa. Vejo essa instalação como algo muito bom porque aqui podemos trabalhar para pagar o aluguel e cuidar de nossa família”, contou a haitiana Marqueza, que mora com a irmã no município.

De acordo com a Prefeitura, inicialmente, os 17 Pontos de Entrega Voluntária (Pevs) da cidade estarão disponíveis para a coleta do óleo não utilizado. Já a Planta deve começar a funcionar totalmente nas próximas semanas.

O secretário do Meio Ambiente, Abdo Mazloum, o secretário de Serviços Públicos, Edmilson Americano, e a diretora de Assuntos Aeroportuários, Marcela de Castro Vaz Augusto estiveram presentes ao evento, por todos terem participação efetiva nesse projeto.