GCM realiza 17 operações contra baile funk em Guarulhos

A Guarda Civil Municipal (GCM), já realizou 17 operações contra baile funk neste ano na cidade, além da apreensão de 20 veículos, porém, de acordo com a Secretaria para Assuntos de Segurança Pública (Sasp), nenhuma pessoa foi presa durante as operações.  A região com maior número de bailes funk é a da Inspetoria de Patrulhamento da Área Norte, segundo a administração municipal, que compreende os bairros do Jardim Fortaleza, São João, Bonsucesso, Marilena e Ponte Alta.

Entre as operações da GCM, estão a Paz Social, que ocorreu no mês de março, por meio de parceria com a PM, no bairro Jardim Vermelhão, com o objetivo de evitar a execução do baile funk que costuma ocorrer na região durante todos dos finais de semana. O baile do “VM”, como é conhecido, chega a reunir quase três mil pessoas.

Mesmo com as operações, quem mora no bairro ainda relata o medo, a falta de sossego e principalmente a falta de segurança no bairro do Vermelhão. “Todo sábado e domingo é sempre a mesma história, janela de casa tremendo por conta do som, muitos jovens utilizando drogas e há pessoas que não conseguem nem tirar o carro da garagem, devido ao grande número de pessoas no baile funk”, disse um morador que preferiu não se identificar.

Outro problema constante no bairro seria a falta de iluminação nas ruas da Pátria e Santa Ana, onde estaria ocorrendo diversos assaltos, de acordo com moradores. Questionada sobre a iluminação, a administração municipal, por meio do Departamento de Iluminação Pública (DIP), da Secretaria de Obras, afirmou que no caso das vias é necessário que haja a extensão da rede para que seja implantada a iluminação pública no local, porém, a prefeitura ainda não tem um prazo especifico.

Já sobre o número de pancadões encerrados pela Policia Militar (PM) neste ano em Guarulhos, a reportagem do HOJE questionou na quinta-feira (02), a Secretaria de Segurança Pública (SSP), mas até o momento não houve resposta sobre essa situação e pela falta de segurança no bairro.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]