Estudantes do Homero reclamam de salas fechadas, falta de professor, vidros quebrados e rachaduras

Alunos da Escola Estadual Professor Homero Rubens de Sá, localizada na rua Ceará, n°50, no bairro da Vila Galvão, alegam que a biblioteca e o laboratório utilizado para pesquisas estão fechados, e a escola até o momento não teria fornecido nenhuma resposta para os estudantes sobre o motivo do fechamento.

“Estudo lá desde  a quinta série e hoje não temos acesso a biblioteca, laboratório e anfiteatro, além de vidros quebrados e falta de professores no período noturno”, afirmou uma estudante do terceiro ano do Ensino Médio, que preferiu não se identificar, destacando que já houve dias na escola que das cinco aulas, quatro teriam sido vagas por falta de professores.

Outro problema na escola também seria em períodos de chuva, já que os alunos alegam que grande parte do colégio fica inundado, inclusive as salas, com diversas goteiras. Também há reclamações da falta de ventiladores, fiação exposta em plena sala de aula e rachaduras em diversas partes da escola.

A reportagem do HOJE contatou a Secretaria de Educação do Estado, que informou ter notificado à administração municipal sobre as rachaduras que teriam sido ocasionadas por uma obra próxima à escola. “A gestão municipal informou à Diretoria Regional de Ensino Guarulhos Sul que contratou uma empresa para analisar a situação e resolver o problema. Técnicos da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação) também estão acompanhando o caso”, disse em nota a secretaria.

A gestão da escola já teria providenciado também a troca de vidros quebrados, das trancas dos banheiros arrancadas e também a manutenção dos ventiladores. “A fiação ficou exposta apenas durante a manutenção de calhas e lâmpadas. Nos últimos três anos, a unidade já investiu mais de R$ 200 mil com obras de reparo e manutenção”.

Quanto a questão da falta de professores, a secretaria também afirmou que está em andamento um processo de atribuição de aulas para substituição de dois professores em licença saúde.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]