‘Dívida herdada de R$ 7,4 bilhões, reduz capacidade de investimento’, diz prefeito

Apesar de estar próximo de completar 21 meses à frente do Executivo, o prefeito Guti (PSB) entende que a dívida herdada da gestão anterior ainda causa transtornos e impede o município de fazer maiores investimentos em áreas consideradas essenciais como a saúde. Entretanto, o endividamento de R$ 7,4 bilhões é o maior de uma prefeitura em todo estado de São Paulo.

Entre os principais débitos da municipalidade estão R$ 3 bilhões, que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) possui com a Sabesp, R$ 1,4 milhão com a Previdência Social ou Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o acúmulo de R$ 1,3 milhão com fornecedores de diferentes setores ao longo dos últimos anos.

“Desta forma, não havia condições de realizar os investimentos necessários na área de saúde. Contratar uma organização social, naquele momento, era a única solução para não paralisar o atendimento à população”, disse Guti.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto