Prefeito quer restabelecer qualidade no atendimento à saúde com novas gestões

Contratado em maio do ano passado para administrar o Hospital Municipal de Urgências (HMU), Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA) e a Policlínica Paraventi, o Instituto Gerir, que tem sede em Goiânia, não responde mais pela gestão destas unidades de saúde, conforme o HOJE divulgou na edição desta quinta-feira (23).

Em entrevista coletiva, concedida no Paço Municipal para explicar os motivos da saída do Gerir da cidade, o prefeito Guti (PSB) explicou que o rompimento do contrato ocorreu função dos problemas ocasionados pelo descompasso financeiro entre o valor pago pela administração pública e o contestado pela entidade.

“A gente já vem construindo isso há uma semana, já que o Instituto Gerir alegou ter problemas financeiros para continuar fazendo a gestão deste contrato, e nós imediatamente entendemos que o que eles alegam pode ser que condiz com a verdade. O que foi contratado foi pago”, explicou.

O instituto foi contratado de forma emergencial pelo valor anual de pouco mais de R$ 162 milhões. No entanto, os goianos cobram do governo municipal uma diferença, cujo valor não foi revelado, pelos atendimentos considerados como extra desde janeiro deste ano. Após a reivindicação, a prefeitura optou por encerrar o contrato e realizar auditoria sobre a prestação de serviço. O Instituto Gerir também faz o mesmo trabalho de forma paralela.

“Estamos fazendo auditorias internas, e eles também. [Depois] vamos fazer o encontro de contas. Quando eles alegaram a incompatibilidade de cumprir o contrato, nós optamos pela rescisão. Chamamos o emergencial para os próximos quatro meses e já temos o processo licitatório em andamento, ainda que internamente”, disse.

Com a tentativa de restabelecer a qualidade do atendimento nas unidades de saúde que estavam sob o controle do Gerir, a administração municipal entendeu por bem manter o modelo de gestão em parceria com Organizações Sociais da Saúde (OSS) e promoveu, ainda, na madrugada desta quinta-feira a transição de administração. A Santa Casa de Birigui assumiu o HMU, enquanto o Instituto de Desenvolvimento de Gestão, Tecnologia e Pesquisa em Saúde e Assistência Social (IDGT) será responsável pelo HMCA.

Já a administração da Policlínica Paraventi retorna para a própria prefeitura.

“A primeiro momento iríamos deixar findar o contrato, que se encerrava no dia 30, porém, nós já optamos por antecipar o encerramento. Nós estávamos avaliando todas as questões administrativas, jurídicas e orçamentárias. E trocar o comando de um hospital não dá pra fazer de uma hora pra outra. Precisa de um planejamento. É impossível você trocar de uma hora pra outra pelos riscos”, concluiu.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto