‘Vade Retro Satana’ (Afasta-se Satanás). Esta que é considerada a declaração oficial do exorcismo no mundo, poderá ser ouvida em Guarulhos a partir de um grupo de padres que está sendo preparado para expulsar o demônio de pessoas possuídas; tudo sob a delegação do bispo Dom Edmilson Amador Caetano. O HOJE apurou que, ao menos, três casos de possessão demoníaca vêm sendo acompanhados pela Diocese de Guarulhos. Os pacientes têm seus nomes mantidos em sigilo.

“Temos conhecimento de outras manifestações nas paróquias, mas ainda não foram feitos os diagnósticos. Mas, os casos já declarados não passam de três”, confirmou o padre Cleber Leandro de Oliveira, de 36 anos, que realiza missas de curas e libertação na paróquia Nossa Senhora de Fátima, no Jardim Tranquilidade.

Padre Cleber foi um dos sacerdotes que, no início deste mês, esteve no Rio de Janeiro para participar do Curso de Exorcismo, realizado pela primeira vez no Brasil pela Associação Internacional dos Exorcistas. No próximo ano, entre os dias 6 e 11 de maio, ele foi designado pelo bispo para participar de outro curso de expulsão do demônio no Vaticano, em Roma.

“O exorcismo é uma ordem direta ao demônio. Seja para ele se retirar de uma pessoa, de objetos, de animais ou mesmo de um ambiente. Sob a delegação do bispo, nós estamos estudando as ações extraordinárias do mal. Para um padre celebrar o exorcismo, ele precisa da autorização do bispo. Nenhum padre é exorcista por excelência”, observou.

Nesta quinta-feira (23), por saber que padre Cleber participou do curso, um paroquiano o procurou pedindo ajuda, pois havia uma suposta manifestação em uma paróquia da região. “Não pude ir sem autorização”, enfatizou. E numa situação de emergência? “Neste caso, poderei ir e fazer o que todo cristão pode fazer: pedir a Deus que liberte aquela pessoa, e isso não é dar uma ordem direta ao demônio, pois isto carece de um rito a ser celebrado”.

O bispo é o exorcista número 1 da diocese por ter o múnus episcopal, e só ele pode delegar essa função para outro sacerdote. Em Guarulhos, Dom Edmilson ainda não fez esta delegação, e poderá fazê-lo em 2019.

Antes de colocar em prática a celebração do exorcismo, o padre – conforme explicou Cleber – precisa fazer o rito diagnóstico, para saber, de fato, se aquela pessoa está mesmo possuída pelo demônio. “Oitenta por cento dos casos em que se procuram um exorcista, necessitam mesmo de um acompanhamento psicológico. Às vezes trata de uma questão de carência afetiva, quando a pessoa cobra atenção”, observou.

Além da possessão, que é a ação extraordinária do demônio sobre uma pessoa, existe a vexação, que é uma simples investida do mal, e a manifestação, que pode ocorrer nos animais de estimação, em objetos – “como um bichinho de pelúcia, por exemplo –, ou em ambientes.

 

Demônios não têm preferências;

todos podem ser os escolhidos

 

O demônio não escolhe um perfil para se apossar. Ele não tem preferência. “Um padre, uma freira, um recém-nascido, jovem, idoso podem ser possuídos, se Deus permitir. O demônio pode se apossar de qualquer pessoa”, explicou padre Cleber.

Mas, por que Deus permitia, por exemplo, que ele se apossasse do corpo de um padre? Diante da pergunta, o sacerdote respondeu, sem titubear: “Deus permitiria se Ele tem alguma coisa muito boa para fazer na vida daquele padre, permitiria [a possessão] para libertá-lo de algo muito maior”.

O tempo de duração de um exorcismo, também depende do tempo de Deus. “Ele que vai dizer quanto tempo vai durar. Mas o rito não pode fatigar o paciente. O ideal é que seja de, no máximo, uma hora e meia. Se Deus não permitir nesta ocasião a libertação, faremos outras celebrações até chegar o dia da libertação. Agora, o mais difícil não é tirar o demônio do corpo de uma pessoa, mas tirar da cabeça dela. Ele precisa permitir a própria libertação”, explicou.

Padre Cleber disse que já percebeu a ação extraordinária do demônio em algumas celebrações que realiza de cura e libertação, mas que nunca viu o diabo. Nunca? “Graças a Deus não”, enfatizou, com um sorriso no canto da boca.

 

Kit do exorcista

 

– Água benta

– Sal bento

– Crucifixo

– Estola roxa

 

 

Missas da Paróquia

Cura e Libertação

Toda segunda sexta-feira do mês – Às 20h

Noite de Louvor

Todo quarto sábado do mês

Tarde de Misericórdia

Toda quinta-feira, às 15h

Endereço: Pça. N. Sra. de Fátima, s/nº – Jardim Tranquilidade

Tel: 11 2422-7879

E-mail: paroquiatranquilidade@hotmail.com

Reportagem: Gil Campos

gil.campos@freesaopaulo.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here