Diferente da população, vereadores ainda são contrários à concessão do Saae para Sabesp

Apesar de quase 70% da população aprovarem o repasse da gestão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) para a Sabesp, conforme comprovou pesquisa encomendada pelo HOJE ao Govnet/Opinião Pesquisa, e a autarquia ter acumulado nos últimos 16 anos uma dívida de R$ 3 bilhões junto à companhia estadual, ao menos seis vereadores – Romildo Santos (DEM), Laércio Sandes (DEM), Thiago Surfista (PRTB), Genilda Bernardes (PT), Edmilson Souza (PT) e Janete Pietá (PT) -, se posicionaram de forma contrária ao modelo de concessão proposto pelo prefeito Guti (PSB).

De acordo com estes parlamentares, a proposta apresentada pelo chefe do Executivo precisa esclarecer determinados pontos do projeto de lei encaminhado ao Legislativo. Entre eles está à situação dos pouco mais de 1 mil funcionários que a autarquia possui, além dos métodos a serem utilizados pela empresa de capital misto para o tratamento do esgoto.

No entanto, os mesmos afirmam não estarem confortáveis para votar o projeto de lei. Eles entendem que é necessário debater a proposta, inclusive com realização de audiências públicas, bem como dar tempo para que as sete comissões parlamentares possam avaliar com critério a proposta.

Para a aprovação do projeto de lei é necessário o apoio de 23 vereadores.

De acordo com o governador Márcio França (PSB), após a aprovação do projeto pela Câmara, no prazo de 12 meses Guarulhos não terá mais rodízio de água, já que existe um planejamento para que investimentos de R$ 1,3 bilhão no abastecimento da cidade e R$ 1,7 bilhão em tratamento de esgoto, a fim de garantir 100% até 2026.

Além de conviver por mais de 30 anos com problemas no abastecimento de água, Guarulhos também conta com a ineficiência nos serviços de coleta e tratamento de esgoto, que de acordo com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) é de apenas 7,5% dos dejetos produzidos em toda cidade.

Diante deste quadro, 58% dos entrevistados pelo instituto Govnet/Opinião Pesquisa reprovaram esta prestação de serviço da autarquia guarulhense.

Foto: Ivanildo Porto