Má condição das calçadas e praça na Vila Progresso incomoda pedestres

Antônio Boaventura

[email protected]

Transitar pelas calçadas do bairro Vila Progresso tem sido tarefa complicada para os pedestres, em especial, aqueles que andam pela praça do Ypê, e as ruas Conselheiro Antônio Prado e Jaiminho. Nos seis primeiros meses do ano passado, a Prefeitura de Guarulhos aplicou 364 multas a proprietários de imóveis pela má conservação do passeio.

Na praça do Ypê é possível avistar o descaso em função da falta de manutenção: placas de concreto estão soltas em torno das árvores. Já na rua Conselheiro Antônio Prado, lateral da Escola Estadual Professor Frederico de Barros Brotero, a queixa é em relação a estrutura e largura das calçadas. Nesta via, o pedestre e os alunos disputam espaço com os carros.

“Não temos outra alternativa a não ser caminhar pela rua. Fica difícil para nós, idosos, do jeito que está. Você não consegue andar na calçada por que tem um poste que ocupa todo espaço e sempre tem carro estacionado no meio-fio”, disse a aposentada Rosana Carvalho, de 68 anos.

“As calçadas estão sem condições para a gente andar. Têm lugares que temos que passar pela rua por conta dos buracos. Para uma pessoa idosa ou com mobilidade reduzida é um baita perigo. É preciso tomar muito cuidado para não e machucar”, observou o operador de caixa, Roberto Castanheira, 36.

A responsabilidade pela construção, reconstrução e conservação das calçadas é do proprietário do imóvel. Esta atribuição está prevista no Código de Postura do Município, por meio da lei número 3573/90, artigo número 239, parágrafo 3º. Se no 1º semestre de 2018 foram aplicadas 364 multas, no mesmo período de 2017, a administração registrou 440 irregularidades no passeio.

Foto: Ivanildo Porto