Idoso morre carbonizado após incêndio em residência no Cocaia

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Um incêndio em uma residência na rua Estelina Mendes Amorim, n° 193, na região do Cocaia, provocou a morte de Luiz Carlos Barbosa, 66, que teria sido encontrado carbonizado pelo Corpo de Bombeiros. O boletim de ocorrência foi registrado no 1° Distrito Policial, localizado na região central, como morte suspeita, porém, a investigação ficará com o 6° Distrito Policial.

O caso ocorreu às 16h de terça-feira (16), segundo o Corpo de Bombeiros. Foi realizada perícia no local para identificar a possível causa do incêndio e foi solicitado exame necroscópico ao Instituto Médico Legal (IML), localizado no bairro da Vila Rio de Janeiro. O HOJE visitou a casa onde ocorreu o incêndio na tarde desta quarta-feira (17), onde os principais pontos destruídos eram a cozinha e o quarto.

Na casa, além de Barbosa, morava também a pensionista Márcia Cristina dos Santos, 53, que informou a reportagem que era amiga da vítima e moravam juntos há quatro anos. “O Luiz foi alcoólatra e parou de beber em função de uma queda de escada, quando ficou com uma perna atrofiada, e desde então, utilizava andador ou cadeira de rodas”, afirmou.

Márcia revelou que havia saído de casa para comprar algo na padaria, e quando chegou já teria encontrado a casa em chamas. “Ainda entrei e fui até a metade, mas não conseguia mais respirar, o incêndio foi muito grave e os bombeiros encontraram o corpo dele todo carbonizado no quarto depois de uma hora”, revelou.

A amiga do idoso informou que a causa do incêndio seria devido a um isqueiro. “Acredito que a causa é um isqueiro, porque no momento que eu saí de casa, ele estava com um do lado e não deixei nenhuma panela ligada no fogão. Perdi tudo, TV, armário, som e até a compra que eu havia feito”, destacou, alegando que o idoso deixa duas filhas.

Com parte da residência toda queimada, Márcia afirmou que deve procurar outra casa ou voltar a morar no Rio de Janeiro, onde informou ter família.

Fotos: Ivanildo Porto