Controladoria faz visita surpresa e recolhe documentos de funcionários do PA Dona Luiza para análise

Reportagem: Antônio Boaventura

[email protected]

Após o episódio relacionado ao Ambulatório da Criança, localizado na região central, a Controladoria da prefeitura desencadeou nesta terça-feira (30) uma operação de investigação sobre o cumprimento da jornada de trabalho de profissionais ligados à secretaria de saúde. A primeira unidade a ser visitada e com recolhimento de documentos foi o Pronto Atendimento Dona Luiza, que está abrigado no bairro dos Pimentas.

Durante a visita surpresa, os controladores recolheram as folhas de pontos e outros documentos de todos os funcionários do PA Dona Luiza com o propósito de analisar de que forma estes cumprem suas respectivas jornadas de trabalho. Além deste incidente administrativo, integrantes da área de controle da administração pública se depararam com a falta de estrutura para a realização de atendimento a população daquela unidade de saúde.

Por lá, os mesmos ouviram queixas da falta de manutenção do aparelho de raio-x, ausência de ambulâncias no local e a falta de medicamentos para atendimentos classificados como emergência e urgência. O HOJE obteve informações de que em um determinado período havia três ambulâncias e agora apenas uma, além da ausência de profissionais.

Em função da falta do medicamento Metalise, um paciente que preferiu não se identificar, não teve o devido atendimento para tratar do Infarto Agudo do Miocárdio, considerado uma patologia grave, naquele momento. Entretanto, a prefeitura optou por não se pronunciar sobre este assunto.

“São muitas reclamações, inclusive do Conselho Municipal

. Nós estamos sem raio-x e isso é um absurdo o que está acontecendo no PA Dona Luiza. Fora isso, falta medicamentos. A gente precisa de remédios. A Controladoria está pedindo a escala médica e dos profissionais. Estão entregando senha para vacinação!”, concluiu a enfermeira e ex-conselheira da Saúde, Rosália Tchaid.