Combate ao Aedes aegypti terá apoio da EDP e da Força Aérea em Guarulhos

A partir da próxima semana Guarulhos volta a contar com importantes aliados para o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, febre chikungunya e zika vírus. Trata-se de 20 soldados da Força Aérea Brasileira que já atuaram neste trabalho em maio passado, além de 65 funcionários da empresa EDP, responsáveis por executar a leitura dos medidores de energia elétrica nos imóveis do município.

A parceria com a EDP foi firmada pelo prefeito Guti em seu gabinete, nesta semana, durante um encontro com representantes da empresa, os quais colocaram seus profissionais à disposição para ajudar no trabalho de combate ao vetor na cidade. Ao fazer a leitura dos medidores, eles irão observar e identificar possíveis criadouros do mosquito, preenchendo os casos detectados em uma planilha online do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão da Secretaria de Saúde que realiza a inspeção dos locais e executa as medidas de controle e prevenção.

A atuação dos funcionários da EDP se estenderá até dezembro próximo. Para tanto, nesta sexta-feira (30) eles receberão treinamento no CCZ, em Bonsucesso. Para a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Valeska Aubin Zanetti Mion, essa mais nova parceria vai fortalecer o plano de contingência para a prevenção do vetor no período intersazonal, ou seja, antes do verão, estação mais propícia para a proliferação do mosquito. 

Aeronáutica

A Aeronáutica volta a fazer o enfrentamento contra o Aedes aegypti na cidade a partir da próxima terça-feira (3) com 20 soldados. Durante 30 dias, eles formarão duplas com os agentes de saúde do Centro de Controle de Zoonoses para vistoriar imóveis e orientar os moradores, bem como realizar a eliminação mecânica de larvas e, quando necessário, aplicar larvicida.

A parceria com a Aeronáutica tem por objetivo intensificar as ações na região do Jardim Álamo e Sadokim, locais onde a avaliação de densidade larvária (que mede o nível de infestação do vetor), realizada em maio passado, apontou que, de cada cem casas inspecionadas, 6,25 apresentaram larvas do mosquito, número muito superior à média geral da cidade, que foi de três larvas para cada centena de imóveis visitados. Serão trabalhadas as seguintes ruas: Nocolina La Pena Turiano, Antônio Lago, Mário Colozzi, Maria Jorge Lombardi, Irene Padilha Sobral e Ari Quaranta. 

“Como neste ano tivemos um aumento significativo dos casos de dengue no município e, segundo nos mostra a série histórica da doença, a tendência para o próximo verão é de crescimento, inclusiveporque temos a circulação do vírus 2 na cidade, ao qual as pessoas ainda não estão imunes, essas parcerias vão nos ajudar na prevenção das doenças causadas pelo Aedes aegypti”, destacou a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde.