Escolas das redes privada e pública são alvos de criminosos nos últimos meses em Guarulhos

Antônio Boaventura

[email protected]

Tanto as escolas da rede pública quanto às de ensino privado estão sendo alvo de criminosos nos últimos meses em Guarulhos. Na última quinta-feira (28), a mãe de um aluno do Colégio O Pequeno Príncipe, que optou por não se identificar, foi vítima de sequestro relâmpago nas imediações da escola. Estruturas da rede estadual nos bairros Haroldo Veloso e Pimentas foram alvos de roubo no mês passado.

O mantenedor Carlos Eduardo Portela Godoy de O Pequeno Príncipe lamentou o incidente e através de comunicado enviado aos pais dos alunos prometeu ampliar a segurança nas imediações. Godoy também disse ao HOJE que este foi o primeiro caso de maior gravidade e que há na região pequenos furtos, em especial, de aparelhos celulares.

“Este foi o primeiro caso de maior gravidade. Mas, ocorreu após o fechamento da escola. Temos quatro seguranças e por sorte no momento eles estavam ainda na escola e foram comunicados por um morador de rua. Entramos em contato com os familiares e pedimos para os alunos quando avistarem qualquer coisa estranha comunicar aos seguranças. Este foi um caso isolado e de oportunismo”, disse Godoy.

Wesley Antônio, pai de um aluno daquela escola, também confirmou o incidente em uma rede social. “Foi a esposa do meu colega, mas não vou mencionar nomes. Graças a Deus passa bem. O carro foi recuperado, mas os pertences não. Ela foi liberada por volta das 22h lá no Casteluche, em São Miguel Paulista, bairro da zona leste da capital]. Foram cerca de 5 indivíduos”, relatou.

Em contrapartida, a Associação das Escolas de Guarulhos (AEG), através do presidente Wilson Lourenço, entende que as ações criminosas deste porte estão fortemente inseridas no cotidiano da sociedade. E ressalta que as políticas de segurança pública fornecida pelo poder público não são suficientes para combater os delitos nas proximidades das escolas.

“A gente lamenta, mas isso faz parte do dia a dia da região central e da cidade e teve outro na Vila Galvão residência que abordaram o carro e a população fica refém. Isso é um problema da sociedade. As instituições tentam na medida do possível e com relação ao município uma ronda e não é uma constante”, disse Wilson Lourenço, presidente da Associação das Escolas de Guarulhos.

Nos primeiros sete meses do ano, rede estadual foi alvo de marginais

Desde os primeiros dias deste ano, as escolas da rede estadual de ensino também foram vítimas da falta de segurança e dos criminosos. Pelo menos quatro unidades – localizadas nos bairros Haroldo Veloso, Parque Jurema, Jardim Palmira e Jardim Álamo -, tiveram suas estruturas danificadas e equipamentos roubados.

A Escola Estadual Brigadeiro Haroldo Veloso foi invadida e roubada em nove oportunidades neste ano. Já a Escola Estadual Professor Antônio Viana de Souza teve 27 computadores roubados no mês passado. Outra unidade que também teve seus computadores roubados foi a Escola Estadual Professora Genoefa D’aquino Pacitti. Ainda no mês anterior, a Escola Estadual Chiyo Yamamoto Dona foi alvo de criminosos.

O governo do estado lançou o programa Escola Mais Segura, que integra a Secretaria de Segurança Pública e Educação e visa aumentar a segurança nas escolas estaduais. Foram escolhidas escolas prioritárias, tomando como base análises técnicas feitas pela Secretaria de Educação, Secretaria da Segurança Pública e a Fundação Seade para a definição das unidades mais vulneráveis.

Foto: Ivanildo Porto