Dia D encaminha 320 pessoas com deficiência para processos de seleção para vagas de trabalho

Assunto:Dia D do Trabalho Local:Adamastor Data:27.09.2019 Foto:Sidnei Barros/PMG

O Salão de Artes do Adamastor recebeu o Dia D, evento que busca auxiliar a pessoa com deficiência (PCD) a conseguir uma colocação no mercado de trabalho. O dia, promovido pela Prefeitura de Guarulhos e viabilizado pela Secretaria do Trabalho, encaminhou cerca de 320 pessoas para processos de seleção em empresas situadas na cidade.

Para Telma Cardia, secretária da Pasta, este tipo de evento é de extrema importância para a inclusão social dessas pessoas. “O evento tem o objetivo de simplificar o caminho na busca de um emprego para a PCD. Aqui eles puderam conversar diretamente com as empresas e alguns até saíram já empregados. Além disso, também estamos buscando conscientizar as empresas para que elas cumpram a lei federal 8.213/91, que obriga as empresas com mais de cem funcionários a incluírem pessoas com deficiência no seu quadro. Todo mundo sai ganhando”, comemorou.

Um total de 24 empresas situadas em Guarulhos disponibilizou vagas de emprego no local. Entre as oportunidades estavam as de operador de lojas, recepcionista, auxiliar de cozinha, fiscal, auxiliar administrativo, promotor de vendas, motorista de caminhão e ajudante de carga e descarga, entre outras.

O evento contou com intérpretes de libras para atender os deficientes auditivos e os surdos, além de equipes preparadas para auxiliar pessoas com outros tipos de deficiências.

Busca por novas chances

Antônio Carlos Ferreira Leite, de 24 anos, tem encurtamento de membros inferiores e está fora do mercado de trabalho há cerca de cinco anos. Seus últimos empregos foram como operador de supermercado e estoquista. “A expectativa é sair daqui com uma oportunidade boa de serviço. As empresas precisam abrir as portas para nós que temos deficiência. Nós não somos incapacitados, somos seres humanos como todos os outros”, ressaltou. Leite comemorou a realização do evento e diz que é bom saber que o município também dá atenção às pessoas com deficiência. “Facilita muito para nós juntar as empresas em um lugar só e oferecer esse serviço”, completou.

Maria Paula dos Santos, de 32 anos, tem perda de audição bilateral e foi até o Adamastor em busca de uma oportunidade de emprego. “Até o momento eu estou me virando e vendendo doces, mas agora estou procurando algo na área administrativa. É muito complicado, as empresas não estão preparadas para receber os deficientes auditivos e pessoas com outros tipos de deficiência. Esta oportunidade é muito boa”, afirmou.