Guarulhos deve ganhar nova casa para atendimento à mulher vítima de violência

Foto: Ivanildo Porto
Foto: Ivanildo Porto

Antônio Boaventura
[email protected]

A cidade de Guarulhos registra, em média, um feminicídio a cada dois meses. Nos últimos dois anos foram registrados quase 2.400 queixas de lesão corporal. Para amenizar este problema, Luiz Silva, responsável pelo projeto social da Associação de Voleibol Guarulhense (Avog), e o pastor Anderson Imaculada criaram a Casa Diná para atendimento ao público feminino que sofre de maus tratos.

Segundo Silva, o instituto social terá condições de atender aproximadamente 200 mulheres por semana. Será oferecido à vítima assistência jurídica e psicológica. Entretanto, o ambiente localizado na região central, ainda, necessita de reparos em sua estrutura para que seja inaugurado, e consequentemente iniciar o atendimento ás vítimas de violência.

Além do atendimento inicial, a Casa também irá oferecer cursos profissionalizantes, em parceria com entidades privadas.

Em decisão do Tribunal de Justiça (TJ-SP), a prefeitura precisa inaugurar até o final deste ano uma Casa-Abrigo de Acolhimento Provisório para mulheres em situação de violência doméstica ou familiar. Também está sendo pleiteado para o município a instalação de uma Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no bairro do Pimentas, em virtude dos elevados índices de crimes contra a mulher naquela região.