Inelegível, irmão de Jair Bolsonaro cogita ser candidato em Guarulhos

Reportagem: Wellington Alves

[email protected]

O capitão da reserva do Exército, Renato Bolsonaro, irmão do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), cogita ser candidato a vice-prefeito de Guarulhos no próximo ano. Ele foi convidado para compor a chapa da ex-vereadora Adriana Afonso, que concorrerá ao Paço Municipal em 2020. Renato, que não mora no município, é considerado inelegível.

A Constituição Federal proíbe que cônjuges e parentes até segundo grau do presidente, governadores e prefeitos disputem cargos eletivos. Esse entendimento foi mantido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2006, após consulta do senador Jefferson Peres. Ou seja, Renato Bolsonaro não pode disputar uma eleição enquanto o irmão for presidente da República.

Renato visitou o HOJE na tarde deSTA segunda-feira (14), junto com Adriana. A ex-vereadora foi nomeada presidente do PSL Guarulhos neste ano, mas acabou destituída. Renato, que integra a Executiva Estadual do partido, afirma que Adriana deverá voltar a comandar o PSL local, se a família Bolsonaro continuar na sigla. “Meu irmão ficará no PSL caso mude a direção nacional. Se ele sair, saímos todos e vamos aonde ele for”, garantiu.

Renato se parece com o presidente, não apenas fisicamente, mas até a voz e nos trejeitos. Ele disse que não se importa por Adriana ter sido comissionada do ex-prefeito Sebastião Almeida. “Fiz uma sabatina com a Adriana quando a conheci. Ele representa a direita dentro dos ideais do Bolsonaro. Tem o meu apoio”, afirma.

Sobre a ilegibilidade, Adriana justificou que nunca houve um caso semelhante para ser julgado. Já Renato disse que não pesquisou o assunto, mas concorda que um nome vinculado à cidade seja o vice no lugar dele. Questionados se a situação seria parecida com a do PT na eleição passada, em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se dizia candidato, mesmo inelegível, eles negaram a estratégia. “Não dá para comparar porque o Lula está preso. É bem diferente”, pontuou, firmemente, Adriana.

Renato critica Guti e aliados de Doria

Para Renato Bolsonaro, Guarulhos é considerada uma cidade estratégia por ser uma porta de entrada do Brasil, por conta do Aeroporto Internacional. “(Aqui) Sempre foi um reduto de ideologias contrárias às do presidente. Nós não podemos perder a oportunidade de manter Guarulhos com essa bandeira (da direita)”, afirmou.

Na opinião do irmão do presidente da República, Jair Bolsonaro, o prefeito Guti (PSB) é vinculado à esquerda. “O partido dele é socialista e se opõe a todos os projetos encaminhados pelo presidente”. Ele falou ainda que as emendas parlamentares no município são “mal gerenciadas”.

Já sobre a candidatura da empresária Fran Corrêa (PSDB), mulher do deputado federal Eli Corrêa Filho, Renato se opõe pela proximidade dela com o governador João Doria (PSDB). “De que lado a Fran deve estar em 2022?”, questionou. Ele também criticou fortemente o tucano. “O Doria fez um meia-boca de prefeito, está fazendo um meia-boca de governador, não se vê ele assumindo de fato o governo.”

Especialista descarta candidatura

O advogado Alexandre Cadeu avalia que o capitão da reserva Renato Bolsonaro, caso seja candidato a vice-prefeito de Guarulhos, terá o registro indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral. Ele afirma que é evidente a inegibilidade de Renato, já que o irmão dele é o presidente da República.

“Ao que parece estão confundindo a figura do vice do executivo, como é a hipótese em relação ao General Morão, este que não impõe a inelegibilidade a seus parentes, com a do titular da Presidência (Bolsonaro), o qual impõe restrições a seus parentes mesmo que candidatos a vice de alguma coisa, diante do fato de estar definida a função na lei; aliás, regra que é clara o suficiente para identificar os personagens, dentre eles o Presidente da República e seus parentes, não importando o cargo em discuta, mas sim a eleição, que tem por fundamento não permitir a familiarização do poder”, explica o especialista.

Foto: Ivanildo Porto