Guarulhos já tem confirmado mais de 630 casos de sarampo

Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

A cidade de Guarulhos já registrou 634 casos de sarampo neste ano, segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde na tarde desta quinta-feira (31). Apesar do grande número, não houve nenhuma morte em decorrência da doença, e os bairros com maior número de caos ainda continuam sendo a região da Cantareira e o Centro.

Desse número, 89 casos da doença foram registrados em crianças menores de um ano e 79 registros na faixa etária entre um e quatro anos, além de 20 confirmações no publico infantil de cinco a nove anos, segundo a secretaria. A maior faixa etária atingida continua sendo entre 15 a 29 anos, com 270 casos confirmados.

Já o total de doses aplicadas na campanha destinada às crianças na faixa etária entre seis meses a quatro anos, que foi encerrada na sexta-feira (25), foi de 4.089 mil doses, informou a secretaria. De acordo com a Secretaria de Saúde do estado de São Paulo, a campanha para a vacinação focada nos jovens entre 20 a 29 anos, irá começar no dia 18 de novembro e se encerra no dia 30 do mesmo mês.

“Esse grupo poderá receber a dose da tríplice ou da dupla viral (sarampo e rubéola), conforme a indicação do profissional de saúde. Os municípios devem ainda seguir realizando ações de bloqueio diante da notificação de casos da doença”, informou a Secretaria de Saúde do estado de São Paulo.

A secretaria também informou que pessoas nascidas antes de 1960, na sua maioria, já tiveram a doença na infância e, portanto, possuem proteção por toda a vida, não necessitando de vacinação. “O Programa Estadual de Imunização prevê que crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter duas doses da vacina contra o sarampo no calendário. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado”.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil