Doria pede que Bolsonaro visite locais como SP e Manaus e deixe ‘bolha de ódio’

O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) e o presidente Jair Bolsonaro (Agência Brasil)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), transmitiu solidariedade às vítimas e suas famílias do novo coronavírus e criticou as falas do presidente Jair Bolsonaro de ontem a noite e da manhã desta quarta-feira (29). Doria também convidou o presidente para que viesse a São Paulo e visitasse o Hospital das Clínicas e do M’Boi Mirim e saísse “da bolha do ódio”.

“Venha ver a gripezinha e o resfriadinho. Venha ver as pessoas agonizando nos leitos e a preocupação dos profissionais da saúde”, disse Doria. “Se não quiser visitar São Paulo, presidente, por medo ou qualquer outra razão, vá a Manaus”, completou Doria.

Durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Doria disse: “Eu posso enumerar, presidente Jair Bolsonaro, algumas atitudes que o senhor deveria ter tomado como presidente da República e não adotou. Esta é a resposta do ‘fazer o quê?’: é fazer aquilo que o senhor não fez”.

Na terça-feira, Bolsonaro havia afirmado sobre o ritmo de aumento do número de mortos pelo novo coronavírus: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”.

Respeito

Doria também cobrou “respeito” do presidente às famílias e amigos de vítimas da covid-19,a além dos profissionais de saúde. “Pare com essa política da perversidade e de atrapalhar quem está lutando para salvar vidas. Pare de fazer política em um País que chora mortos e infectados”, completou o governador.