SP não abre dia 1º e Covas evita dar prazo para retomada dos estabelecimentos

Um dia depois do anúncio pelo governo João Doria (PSDB) da retomada gradual das atividades econômicas no Estado, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), evitou dar um prazo para a reabertura dos estabelecimentos na capital paulista. Segundo ele, a partir de segunda-feira, 1º de junho, a prefeitura começa a receber as propostas de protocolos de cada um dos setores e só depois de análises das áreas de Desenvolvimento Econômico e Saúde haverá a liberação ou não. São Paulo, portanto, não “reabre” no dia 1º.

“O Estado permite que municípios possam reabrir as atividades a partir do dia 1º. Não disse que abre no dia 1°”, disse o prefeito.

Segundo ele, apesar do anúncio das medidas de retomada, a cidade continua em quarentena.