Má higiene bucal pode causar doenças no coração

Imagem: Freepik

Um belo sorriso não apenas abre portas e conquista corações, mas também contribui para a saúde do indivíduo. Muita gente não sabe, mas problemas bucais podem estar diretamente ligados a uma doença cardíaca chamada endocardite bacteriana.

Segundo Priscila Vales Rocha, coordenadora do curso de Odontologia da Universidade Anhanguera, algumas bactérias podem circular para outras regiões do corpo pela corrente sanguínea e se alojar no coração. Os pacientes que apresentem problemas bucais como gengivite ou doença periodontal são os mais propensos a desenvolver a complicação, se não houver diagnóstico e tratamento precoce.

“Quando as bactérias se instalam em alguns órgãos, como o coração, por exemplo, podem causar inflamações e outros problemas. Por isso é tão importante ir regularmente ao dentista, porque aparentemente o paciente pode pensar que sua saúde bucal está em dia, mas apenas o cirurgião-dentista poderá identificar sinais que podem desencadear e prevenir tal doença”, diz.

ENDOCARDITE BACTERIANA

A doença consiste na inflamação das estruturas internas do coração, acometendo as válvulas cardíacas, e é causada por bactérias – dentre elas, as provenientes da boca.

Para evitar a endocardite bacteriana, é preciso tratar precocemente e rapidamente qualquer tipo de infecção, seja na boca, pele ou outra região do corpo. O diagnóstico é feito por ecocardiograma, e o tratamento se dá por uso de antibióticos durante semanas. Os sintomas podem variar de febre persistente a insuficiência cardíaca. O paciente pode evoluir para sepse, mais conhecida como infecção generalizada, e evoluir ao óbito.

Em outros casos, mais raros, as bactérias podem percorrer pela circulação, causando inflamações em vasos sanguíneos cerebrais, com a consequente interrupção do fluxo sanguíneo cerebral, o doente pode ser acometido por um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

CUIDE DA SAÚDE BUCAL

Para evitar a endocardite e outras doenças o/a especialista recomenda que sejam seguidas as dicas a seguir:

– Faça o uso diário do fio dental (o fio deve ser usado antes da escovação, para que as bactérias e os restos alimentares sejam removidos com a escova)

– Escove os dentes e gengivas três vezes ao dia. O creme dental deve ser utilizado na menor quantidade possível, para os adultos, permitindo os movimentos mecânicos da escova dental.

– A língua também precisa ser escovada e higienizada.

– Ao final da escovação, retire o excesso de água da escova e enxugue-a com um papel toalha. Guarde-a em local seco, de preferência com alguma proteção fechada ou perfurada, que deixe as cerdas respirarem. Faça a troca da escova a cada dois ou no máximo três meses.