Maternidade JJM reivindica reajuste de subsídios

Representantes do Hospital e Maternidade Jesus, José e Maria visitaram a Câmara Municipal de Guarulhos, nesta quarta-feira (27). O grupo foi recebido na sala do presidente do Legislativo, Martello (PDT). Entre as reivindicações, está o aumento do subsídio repassado pelo município, há cinco anos sem reajuste.  

A subvenção anual é de R$ 30 milhões, desde 2016, sendo R$ 2,5 milhões mensais. Entretanto, sem o adiantamento de, no mínimo, uma parcela, o hospital não fechará os pagamentos em 2021. Os recursos precisam ser aumentados para R$ 3,2 milhões mensais, de acordo com os reajustes do IPCA e perdas inflacionárias.  

A interrupção das obras do Instituto da Mulher, um anexo do Hospital que foi iniciado com a proposta de se tornar referência em saúde feminina, tal qual o Hospital Pérola Byington, também foi discutida durante o encontro. A unidade precisa de acabamento, infraestrutura e equipamentos. O terreno foi cedido pelo município e a construção contou com recursos estaduais. Para concluir, seria necessário um investimento de aproximadamente R$ 50 milhões. 

O presidente colocou-se à disposição para intermediar as negociações com o Executivo. Ele recebeu relatórios com o balanço financeiro do hospital, demonstrando o desequilíbrio entre as receitas e as despesas. Martello reconheceu a importância do equipamento público de saúde para atender às gestantes de Guarulhos, e afirmou que solicitará ao prefeito um aporte financeiro. 

Imagem: Lucy Tamborino