O que todo guarulhense precisa saber sobre o surto de influenza H3N2

Foto: Freepik

A gripe chegou em um momento atípico na vida dos brasileiros. Comumente identificada no meio do ano, o vírus influenza H3N2 surpreendeu ao circular fora de época em partes do país. “Os sintomas do vírus da gripe e da covid-19 são semelhantes em muitos aspectos, como falta de ar e problemas respiratórios, tanto que ambos são denominadas como síndrome respiratória aguda grave quando apresentam manifestações graves”, explica Dr. Carlo Rodrigo Moraes Duarte, médico cooperado da Unimed Guarulhos (CRM: 100531). No entanto, “em quadros de influenza não se identifica perda do paladar ou olfato. No diagnóstico de influenza, a febre intensa e dor no corpo são muito comuns”, explica Dr. Carlo Duarte. Os sintomas mais comuns no diagnóstico do vírus Influenza são: febre alta com início agudo, cefaleia, dores articulares, congestão nasal, inflamação de garganta e tosse. “Em alguns casos, pode haver vômito e diarreia, sintomas mais comuns em crianças” complementa o médico cooperado da Unimed Guarulhos.

E se eu tiver algum sintoma?

Para dr. Carlo Duarte, “na persistência ou aumento da febre por mais de três dias ou retorno após 48 horas de período febril, assim como confusão mental, sonolência, letargia ou falta de ar, o paciente deve procurar atendimento médico imediatamente. Fora isso, em casos iniciais e com sintomas leves, pode-se utilizar sintomáticos para evitar ter que ir ao pronto-atendimento”. E ele ainda explica que “assim como ocorreu nos maiores picos de contaminação com a covid-19, ir ao ambiente hospitalar que, por si mesmo é muitas vezes contaminado, corrobora para a circulação do vírus e a contaminação de outras pessoas”, ratifica. Se você possui plano de saúde, o melhor a se fazer é buscar o pronto atendimento virtual do seu plano de saúde e evitar aglomerações.

Por isso, nesse cenário, o médico cooperado da Unimed Guarulhos alerta “a recomendação médica é para que as pessoas que apresentarem os sintomas gripais se isolem por sete dias após o início dos sintomas ou 24 horas após o desaparecimento da febre”.

Tomei vacina de gripe, posso contrair o novo vírus?

Dr. Carlo Duarte explica os motivos pelos quais você pode ser contaminado. “Embora a vacina contra a gripe usada no programa de imunização tenha na sua composição a variante H3N2, essa não é a mesma cepa que circula agora em algumas cidades do país. No entanto, ela protege de outras variantes e pode atenuar a variante H3N2, diminuindo a incidência de formas mais graves, por isso, não deixe de se vacinar”, finaliza.

Como evitar o contágio do vírus influenza H3N2?

Melhor do que remediar, é prevenir. “O melhor a ser feito neste momento é as pessoas continuarem higienizando as mãos, usando máscaras e evitando aglomerações”, explica o médico.