Home office prolongado pode afetar a audição

Foto: Christina Morillo/Pexels

Com o aumento dos casos de covid-19 em decorrência da variante Ômicron e da subvariante BA.2, o home office deve continuar sendo realidade para muitos trabalhadores do país. As empresas, que já faziam planos depois do avanço da vacinação, estão novamente adiando ou revendo a volta ao trabalho presencial.

Com isso, a pandemia continua obrigando muitas pessoas a transformar a casa em escritório. E quanto mais horas dentro do lar, mais barulho. Os ruídos estão por todos os lados: no volume alto da TV ou da música que a filha adolescente escuta no Spotfy; no liquidificador; no secador de cabelos; no aspirador de pó; sem falar na algazarra das crianças. Com tudo isso e depois de dias intensos à frente do computador ou do celular, sua audição pode estar sendo prejudicada, lentamente. E se você usa fones de ouvido ou um headset completo por muitas horas, o problema pode se agravar mais rápido do que imagina. Considere ainda que muita gente trabalha em home office ouvindo música. 

“O barulho em excesso, ao longo do tempo, pode causar prejuízos cada vez maiores à audição. Dependendo da intensidade, o ruído pode provocar, inclusive, como primeiro sintoma, o zumbido nas orelhas”, explica a fonoaudióloga Rafaella Cardoso, especialista em Audiologia na Telex Soluções Auditivas. Sons que alcançam 70 decibéis já são desagradáveis ao sistema auditivo e, acima de 85 decibéis, podem começar a danificar o mecanismo da audição, dependendo do tempo e da frequência da exposição sonora. 

A orientação é simples: procurar isolar-se em ambientes mais silenciosos e baixar o volume de tudo o que for possível. Diminua o volume do áudio do computador ou do celular quando estiver trabalhando, ouvindo música, assistindo a uma palestra ou participando de uma reunião. “Qualquer dano à audição vai se somando ao longo do tempo e os efeitos podem não ser sentidos de imediato. A exposição frequente ao barulho pode levar, com o tempo, à perda permanente e irreversível da audição”, enfatiza a fonoaudióloga da Telex. 

Portanto, é preciso adotar a cultura da prevenção, para continuar ouvindo bem os sons da vida por muitos e muitos anos.

- PUBLICIDADE -