‘Covid não vai acabar e precisamos conviver com o vírus’, diz Queiroga

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, explicou sua decisão da pasta de declarar o fim da emergência de saúde pública relacionada à covid-19 no Brasil. Segundo o ministro, o fundamento epidemiológico da decisão se justifica em três pontos:

  • A queda expressiva dos casos e dos óbitos por causa da covid nos últimos 15 dias;
  • A ampla cobertura vacinal da população: mais de 70% já completou o esquema vacinal com duas doses e mais de 77 milhões de pessoas já receberam a dose de reforço (equivalente a cerca de 39% da população);
  • A capacidade do Sistema Único de Saúde (SUS) de atender não só os casos de covid-19, mas também as doenças prevalentes que foram negligenciadas durante os períodos de picos da covid.

“A covid não acabou e não vai acabar, e nós precisamos conviver com essa doença e com esse vírus. Felizmente, parece que o vírus tem perdido a força, tem perdido a letalidade, e cada dia nós vislumbramos um período pós-pandêmico mais próximo de todo mundo”, afirmou Queiroga.

O ministro também citou a capacidade de vigilância epidemiológica e genômica brasileiras como outro fundamento sanitário para decretar o fim da covid como emergência em saúde pública nacional.

- PUBLICIDADE -