Prefeitura chama a atenção para o risco de morte de motociclistas por acidentes com cerol

Foto: Divulgação/PMG

O tempo ameno, sem chuvas, e as férias escolares são fatores que favorecem o aumento de pipas nos céus das cidades. A temporada preocupa a Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos, que reforçou neste mês as ações de fiscalização e conscientização em relação aos riscos de morte causados por linhas revestidas com substâncias cortantes, principalmente aos motociclistas. No último fim de semana a fiscalização inibiu o uso dos produtos nos bairros Jardim São João, Parque Continental, Parque Flamengo, Jardim Adriana e Jardim Renzo.

“Gratidão por estar viva”, é como a moradora Flávia Cabral Maglia, de 33 anos, descreve o sentimento de se recuperar de uma grave mutilação no pescoço causada pelo atrito de uma linha com cerol quando conduzia sua motocicleta pela rodovia Presidente Dutra na véspera de Dia das Mães deste ano, após plantão em um hospital em que trabalha como enfermeira na capital.

Ela estava a caminho de sua casa, em Guarulhos, para iniciar os preparativos para receber a família no dia seguinte quando foi surpreendida por um corte na área central de seu pescoço. “Fiquei pensando em como iria retirar a linha sem machucar também a minha mão”, lembrou Flávia. Então, a linha se rompeu. “Não senti dor, mas coloquei a mão e pude ver que estava sangrando”, contou.

No hospital Flávia foi informada de que precisaria passar por cirurgia ainda no mesmo dia para a reconstrução da cartilagem da traqueia, da tireoide e da jugular externa de seu pescoço. “Tive alta no outro dia, foi um milagre. Fui para casa com o dreno para retirar na semana seguinte”, comemorou a motociclista ao recordar que pôde passar o feriado com a família e não precisou ficar internada na UTI.

Dois meses após o acidente Flávia se recupera bem, sem sequelas, e conseguiu retomar a direção da motocicleta, que é sua paixão e companhia diária há mais de dez anos. O episódio vivido gerou um olhar mais preocupado da enfermeira, que sempre alerta todos os seus colegas que compartilham desse amor sobre os cuidados para evitar acidentes.

Segundo dados da Associação Brasileira de Motociclistas (Abram), a cada cem acidentes com motocicletas anualmente no Brasil, cerca de 50% causam ferimentos graves, como mutilações, e, desse total, 25% são fatais. Desta forma, a Prefeitura de Guarulhos orienta a instalação de antenas corta-pipa nas motos. Em maio, uma parceria com a Ecopistas e a Polícia Rodoviária Estadual instalou o equipamento nos veículos de cerca de 70 condutores.

Outros perigos

O cerol, mistura de cola com vidro moído, e a linha chilena, feita de cola com óxido de alumínio e pó de quartzo, também são perigosos para os próprios usuários, que podem sofrer acidentes caso a linha da pipa enrosque na fiação elétrica, causando curtos-circuitos, quedas de energia e rompimento dos cabos. Durante o ano de 2021 foram atendidas 2.277 ocorrências pela EDP São Paulo relacionadas a pipas nas redes elétricas no Alto Tietê, região em que Guarulhos está localizada.

De acordo com o inspetor-geral da GCM, Paulo Sanchez, os ciclistas e pedestres também fazem parte dos grupos vulneráveis, bem como as aves. “A maioria dos pássaros morre em virtude das mutilações sofridas, mesmo resgatados e tratados por veterinários. Outros não retomam a capacidade de voltar à natureza”, explica.

Vale ressaltar que o comércio e o uso das substâncias cortantes para pipas é crime e prevê multa de até 1,4 mil reais. O munícipe pode denunciar à Central de Atendimento da Guarda Civil Municipal pelos telefones 2475-9444 e 153, que funcionam 24 horas, todos os dias da semana.

- PUBLICIDADE -