Mães na Mobilidade: jornada de segurança e amor

Divulgação

Cuidar e proteger são algumas das principais missões de uma mãe. No caso das colaboradoras da ViaMobilidade, estas tarefas também fazem parte do dia a dia no trabalho. Afinal, as profissionais se dividem entre o amor pela maternidade e pelo ofício.

Algumas, inclusive, superaram inúmeros desafios na vida pessoal para realizar o sonho de trabalhar no setor de mobilidade. Assim, trazem segurança aos milhares de passageiros que circulam diariamente pelas Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda e são o porto-seguro dos filhos em casa.

É o caso da AAS (Agente de Atendimento e Segurança) Cristiane Freire Teodoro, que nasceu em Esperança, na Paraíba, e veio para São Paulo com 17 anos para morar com a irmã. Se casou, teve dois filhos e, após 11 anos, enfrentou um divórcio e a perda da mãe para o câncer. Em meio a uma depressão, sofreu com o ganho de peso e perdeu o emprego durante a pandemia.

“Meu vizinho me indicou o trabalho na ViaMobilidade. No começo, eu não passei no Teste de Aptidão Física, mas não desisti. Arranjei forças para ir além e vencer os obstáculos. Comecei a treinar, fiz reeducação alimentar, consegui emagrecer 10 quilos, fui aprovada e estou aqui fazendo parte deste time maravilhoso”, conta Cristiane.

Para a Supervisora de Interação com o Cliente (SIC), Gladis Moraes de Oliveira, o amor pela maternidade e pela profissão são combustíveis diários. Gladis começou como AAS em 2010, na Linha 4-Amarela operada pela ViaQuatro. Ingressou na ViaMobilidade em 2018 como líder na Linha 5-Lilás e hoje ocupa o cargo de supervisão nas Linhas 8 e 9.

“Para mim é desafiador ser mulher e trabalhar em uma área em que o maior número de colaboradores são homens, mas todos me respeitam. Além disso, eu tenho as responsabilidades diárias de casa e com o meu filho. Eu realmente amo o que eu faço”, conta.

“Eu ainda conto com o apoio da empresa, porque meu filho é autista e eu preciso me ausentar em alguns momentos para levá-lo às terapias dele. Não tive resistência quanto a isso e esse era um dos meus maiores medos: ser mãe solo e não ter essa compreensão. Porém, eu recebo todo o suporte que preciso”, relata.

Já a AAS líder Edna Souza enfrentou desafios desde o início da maternidade. Devido à necessidade de cuidados especiais da filha, Edna se dedicou exclusivamente à maternidade durante cinco anos.

“Em 2017, quando fiquei desempregada, decidi fazer um curso de vigilante patrimonial. Foi quando ouvi falar da ViaMobilidade pela primeira vez por meio do meu instrutor. Entreguei meu currículo em uma estação e hoje faço parte do quadro de colaboradores. Aqui o respeito vem em primeiro lugar. Tive a oportunidade de ser a primeira AAS feminina a ser condutora de viatura e hoje sou líder da Estação João Dias. Vejo que inclusão faz parte da política da empresa”, afirma Edna.

Por sua vez, a AAS Paloma Ferreira de Castilho enfrentou dificuldades financeiras desde a infância, mas hoje consegue prover o sustento à família, junto ao marido. Começou a trabalhar com 12 anos fazendo limpeza na casa dos vizinhos.

“Minha irmã mais velha, ao receber seu primeiro vale-refeição, fez nossa primeira despesa farta e isso foi muito marcante. Desde cedo aprendemos a dar valor a cada pedaço de pão que podíamos comer”, relata.

“Antes de entrar na ViaMobilidade, passei por um período de depressão, engravidei na pandemia e perdi meu emprego. Uma amiga me indicou para essa vaga de AAS e comecei a me empenhar para entrar na empresa. Tenho três filhos lindos e graças ao meu esforço e ao do meu marido, conseguimos garantir o sustento da família. Sou grata à empresa porque o fato de eu ser mãe não foi um empecilho para a contratação”, complementa.

Da mesma forma que Paloma, a AAS Viviane Gomes do Nascimento, começou a trabalhar cedo como auditora em lojas de shopping, atuou como operadora de caixa e se formou em Ciências Contábeis.

“O início para entrar na ViaMobilidade não foi fácil, pois não consegui de primeira, mas nunca desisti pois era meu sonho. Quando recebi a negativa, sabia que não era o momento, mas que um dia eu iria conseguir. Estudei, me preparei, treinei e finalmente consegui”, afirma Paloma.

Mobilidade é Coisa de Mulher

Embora aumentar a participação feminina no setor metroferroviário brasileiro ainda seja um desafio no país, a ViaMobilidade realiza ações para incentivar a contratação de mulheres. Entre as iniciativas está a campanha Mobilidade é Coisa de Mulher.

Por meio da campanha, a concessionária oferece oportunidades e realiza plantões de recrutamento feminino nas estações. Um dos resultados da campanha foi a formação da primeira turma de operadoras de trem composta exclusivamente por mulheres. A formatura das colaboradoras foi realizada em 08 de março de 2023.

Além disso, a concessionária também oferece capacitação. Uma parceria com o SENAI-SP Mariano Ferraz disponibilizou vagas de aprendizagem em Mecatrônica no complexo de educação profissional, com o intuito de expandir o conhecimento de jovens profissionais em áreas de manutenção.

Após este período de aprendizagem teórica, que tem duração de 2 anos no SENAI-SP, a aprendizagem prática será presencialmente nas instalações da ViaMobilidade.

- PUBLICIDADE -