Conheça Laranjal Paulista: a capital estadual do brinquedo


Já no século XIX, um importante local de repouso para tropeiros de muares – comerciantes que transportavam suas mercadorias montados em mulas – havia se instalado às margens do Ribeirão do Laranjal, córrego do rio Tietê conhecido pela grande quantidade de laranjas em suas proximidades. Com o tempo, esse núcleo urbano foi crescendo, até se tornar um distrito do município de Tietê em 1896 e, em 1917, ser elevado ao status de município.

Apesar das origens ligadas ao ribeirão das laranjas e, ainda hoje, carregar a fruta no nome da cidade, Laranjal Paulista se destaca mesmo por outra atividade econômica: trata-se, simplesmente, do terceiro maior polo de produção de brinquedos do mundo. Não à toa, por meio da Lei nº 17.474/2021, aprovada na Alesp, o município é oficialmente reconhecido como “Capital Estadual dos Brinquedos”.

Mesmo com apenas 28 mil habitantes, conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município a 160 quilômetros da capital paulista figura como o segundo maior polo de produção de brinquedos da América Latina.

Cluster industrial

De acordo com Synésio Batista da Costa, presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), são “mais de 35 fábricas de brinquedos [em Laranjal Paulista]. É um polo muito especializado em plásticos e conta com a maior fabricação de boneca do Brasil”.

Em Laranjal Paulista, segundo estimativas do ramo, dos cerca de 70 milhões de brinquedos confeccionados por ano, mais de 20 milhões de unidades são só de bonecas. “E são de primeiríssima qualidade”, garante o Executivo.

“Laranjal Paulista vem se modernizando a cada dia”, destaca Synésio. Ele afirma que o polo industrial do município é conhecido, no jargão do setor, como cluster. Isso significa que, na região, há uma concentração de empresas de um mesmo nicho que podem cooperar entre si e, assim, aprimorar seus processos e produtos. Laranjal Paulista conta com o único cluster de brinquedos da América Latina, segundo Batista da Costa.

APL dos Brinquedos

A nível político, os clusters industriais são classificados como Arranjos Produtivos Locais (APLs). Por meio do Programa de Fomento de Arranjos Produtivos Locais Paulista, criado com o Decreto n° 54.654/2009, o conglomerado produtivo é classificado de acordo com seu nível de maturidade e, a depender do prognóstico, pode receber editais e projetos de fomento do Governo do Estado.

O APL dos Brinquedos, sediado em Laranjal Paulista, ainda é considerado emergente. O fortalecimento do arranjo, segundo as autoridades locais, traria ainda mais competitividade para as indústrias da região.

O prefeito Alcides (PSD), em entrevista à Tribuna de Piracicaba em novembro de 2021, destacou que o fortalecimento do APL dos Brinquedos, elevando seu status na classificação do Programa de Fomento, iria se tratar de “um marco importante” para a geração de “novos negócios” e oportunidades para toda a região.

Projeção mundial

A projeção de Laranjal Paulista é mundial, já que as fábricas de brinquedos acompanham esse patamar internacional. “Laranjal Paulista tem um elenco de fábricas tão grandes quanto as da Ásia, na China e Vietnã. São fábricas enormes, muita gente trabalhando, às vezes falta até funcionário em Laranjal e tem que buscar nas cidades vizinhas”, diz Batista da Costa.

Mais de 60% da economia da cidade é relacionada ao setor de brinquedos, que gera 4 mil postos de trabalho no município. De acordo com a base de dados pública da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), Laranjal Paulista foi um dos maiores exportadores de brinquedos do Brasil nas últimas décadas.

De 1997 a 2023, série histórica disponível na consulta aos dados, as exportações provenientes de Laranjal Paulista totalizaram mais de 22 milhões de dólares, correspondendo a 8% do montante nacional. Os principais destinos são Argentina, Paraguai, México e Uruguai.

“Laranjal Paulista”, reitera o presidente da Abrinq, “é um show para nós do mundo do brinquedo”.

- PUBLICIDADE -