GCM resgata duas corujas feridas por pipas com cerol e linha chilena


O patrulhamento ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos resgatou nesta quarta-feira (19) duas corujas-orelhudas com cortes profundos nas asas feitos por linhas de pipa. Uma delas estava envolta por linha chilena em uma mata no Jardim Cumbica e a outra foi encontrada por um cidadão na Vila São João Batista, que levou aos agentes o animal ferido por cerol.

No caso do Jardim Cumbica, os agentes receberam o chamado por meio do telefone 153 e foram ao encontro do denunciante. O bicho estava caído no chão, com a asa perfurada e incapacitado de voltar enquanto se debatia para livrar-se da linha chilena, um material produzido com pó de quartzo e óxido de alumínio ainda mais cortante que o cerol. “Ela estava muito agressiva, arisca e amedrontada”, comentou o GCM ambiental Angelo Lapazini.

Com cuidado, os agentes utilizaram luvas para pegar a coruja e retirar as linhas de seu corpo. Em seguida o animal recebeu água e foi colocado em uma gaiola adequada para ser levado ao Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres, em São Paulo, onde está sob os cuidados de uma equipe veterinária especializada. A coruja encontrada na Vila São João Batista também foi levada ao mesmo local na capital.

Cerol e linha chilena

Os riscos do uso de linha chilena e cerol não se limitam aos pássaros, mas também aos próprios usuários e, principalmente, a motociclistas e pedestres. Brincar de pipa é uma tradição das férias escolares, porém o período registra uma incidência maior de acidentes graves por perfurações causadas pelo material cortante, que levam muitas vítimas a óbito.

Outros problemas ocasionados estão relacionados à energia elétrica, com interrupções na rede pública e privada e sérios prejuízos aos serviços públicos, comércios e residências. Além disso, aqueles que empinam pipas com linhas cortantes também ficam expostas ao risco de atropelamentos ao brincar em áreas de trânsito movimentado e de sofrer choques em áreas próximas à rede elétrica.

A GCM orienta que pais e responsáveis conversem os seus filhos quanto aos riscos e às proibições de uso do produto. A lei estadual 17.201/2019 determina a proibição de uso, posse, fabricação e comercialização do cerol, bem como a importação da linha cortante industrializada conhecida como chilena. Em Guarulhos, a lei 7.302/2014 define que os comerciantes das substâncias e seus usuários podem pagar multa de até 1,4 mil reais.

- PUBLICIDADE -