Funcionários do Aeroporto de Guarulhos devem entrar em greve após proibição do uso de celular

Olivia Villegas
- PUBLICIDADE -
C&C

Maria Menezes

Funcionários pretendem parar o maior aeroporto da América Latina na próxima terça-feira (15). A greve dos trabalhadores do Aeroporto de Guarulhos é uma reinvindicação contra a decisão da Receita Federal que proíbe o uso de celulares particulares ou aparelhos de captação de imagens por funcionários em áreas do Terminal de Cargas Aéreas (Teca), Restritas de Segurança (ARS) dos Terminais de Passageiros e nos pátios de movimento das aeronaves, locais de grande circulação de bagagens.

A decisão foi tomada em maio, depois que dois funcionários terceirizados realizaram a troca de bagagens de duas passageiras que passavam por Cumbica em direção à Europa por malas com 40 quilos de cocaína. A troca de bagagens levou à prisão por tráfico de droga das duas na Alemanha, onde permaneceram por mais de um mês. O caso repercutiu internacionalmente e deu início a uma megaoperação da Polícia Federal (PF) contra o tráfico internacional de drogas.

O decreto, que entrou em vigor no dia 1º de junho, permite o acesso às áreas restritas com celulares particulares e empresariais, mediante autorização da GRU Airport, concessionária responsável pela administração do local, até o dia 15 de agosto. Após a data, todos os funcionários serão proibidos de portar celulares e qualquer aparelho com captação da imagem. A portaria se aplica somente ao Aeroporto de Guarulhos.

Para os funcionários, a decisão afeta não somente os funcionamentos internos do aeroporto, mas a vida pessoal de cada um. “Nós estamos recebendo comunicados com informações de que quem for pego com celular será descredenciado e demitido imediatamente. Nós nem se quer temos armários do lado externo para guardar nossos aparelhos em segurança, seremos obrigados a deixar ele em casa. São muitas horas de trabalho, temos filhos, ficamos sem comunicação para qualquer emergência e sem notícias de família”, disse um funcionário que não quis se identificar.

 Em nota, a GRU Airport se limitou a informar que “trabalha constantemente em conjunto com os Órgãos de Segurança Pública para a melhoria da segurança aeroportuária e cumprirá o que está estabelecido na da Portaria ALF/GRU Nº 57, de 23 de Maio de 2023”.

- PUBLICIDADE -