Com déficit de R$ 626 milhões no 1º bimestre, prefeitura deixa de cumprir prazo de envio do balancete contábil ao TCE-SP

Antônio Boaventura

[email protected]

Apesar da publicidade apontar o pagamento de R$ 4 bilhões da dívida de R$ 7,4 bilhões, a prefeitura encerrou o 1º bimestre deste ano com déficit de aproximadamente R$ 626 milhões, segundo o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP). Contudo, a administração pública também não cumpriu o prazo legal para envio do balancete contábil do período ao TCE-SP.

Os municípios do estado teriam que enviar os documentos contábeis para o Tribunal até meados deste mês para que a mesma pudesse fazer a análise contábil dos meses de janeiro e fevereiro das cidades paulistas. E Guarulhos está entre os inadimplentes em relação à entrega destes documentos, conforme publicação do TCE-SP no Diário Oficial do Estado da última quarta-feira (24).

Mesmo com uma campanha publicitária que aponta o pagamento de R$ 4 bilhões da dívida que a cidade possui e o esforço do governo municipal para colocar a casa em ordem, o município fechou o primeiro bimestre deste ano com um déficit de aproximadamente R$ 626 milhões. Neste período, a prefeitura gastou quase R$ 1,6 bilhão e arrecadou R$ 948 milhões. Ou seja, a despesa representa cerca de 66% da arrecadação.

“É mais uma jogada de marketing do quê dados mais concretos. A cidade nunca esteve tão esburacada. Na rede pública não tem remédio. Obras estão paradas. Ou seja, é algo na contramão. Nós pagamos divida, mas o básico não está funcionando. E esses dados do Tribunal de Contas assustam mais ainda”, disse o vereador Edmilson Souza (PT), líder da oposição ao governo do prefeito Guti (PSB) na Câmara.

O não envio da documentação, segundo o Tribunal de Contas paulista, prejudicou as análises contábeis referentes ao resultado do primeiro bimestre de 2019 que são feitas por meio da Divisão de Auditoria Eletrônica de Órgãos Públicos (Audesp). Este acompanhamento é previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Procurada, através de sua assessoria de imprensa, a prefeitura optou por não se manifestar sobre o assunto.

Foto: Ivanildo Porto