Nova tendência das tatuagens em 2021 com a pandemia deve ter continuidade

Foto: Divulgação

A pandemia da covid-19 devastou o mundo deixando 5,29 milhões de mortos – no Brasil mais de 600 mil, mudou as relações comerciais e os hábitos das pessoas, transformou o comércio, serviço e as artes. Com os estúdios de tatuagens espalhados pelo país, a situação não foi diferente. Além do vírus ter exigido maior controle sanitário, a tendência das imagens e traços dos apaixonados pelas tattoos também mudaram.

Os tribais e os maoris (desenhos da cultura indígena) deram lugar aos nomes e rostos de entes queridos levados pelo coronavírus. “As pessoas passaram a prestar homenagens ao pais, mães, avôs e outras pessoas que fizeram parte de suas vidas. São homenagens singelas que querem levar para o resto da vida marcadas na própria pele”, explicou Jefferson de Lima Cavalcante, o “Liminha”, de 29 anos, oito dos quais dedicados a tatuagens.

Aliás, Lima, o pai e seu maior incentivar na arte das tatuagens, foi uma das vítimas da covid-19 há seis meses, após 22 dias intubado. “A dor é forte, parei até pensar de trabalhar, mas minha filha Yohana foi a bússola que deu meu redirecionamento na vida. Dá para entender perfeitamente quando uma pessoa chega ao estúdio e pede para tatuar o nome ou o rosto de alguém da família levado pelo vírus”, disse emocionado. Ele acredita que, com as variantes que vêm surgindo e ainda fazendo vítimas, essa tendência, infelizmente, deve continuar em 2022. “Apesar da pandemia ter diminuído muito a demanda no nosso trabalho, as tendências de homenagens se fortaleceu”.

Com o estilo mais focado no realismo preto e cinza, “Liminha” também vislumbra para o verão 2022 a tendência de tatuagens com desenhos de animais, como lobo, tigre e leão, e motivos religiosos – imagem ou silhuetas de santos, e anjos pelo corpo. Neste caso, também motivado pela covid-19.
Dos apaixonados pelas tattoos, ele observou que o percentual de mulher já ultrapassou, há muito tempo, o de homens. “Hoje, meus clientes são 75% formados por mulheres, que já estão procurando, para o próximo verão, tatuagens mais extravagantes, que pegam toda a coxa e parte do bumbum. Aí os desenhos são variados, como rosas e as catrinas (representadas pelo esqueleto de uma mulher elegante) ou as chicanas (palhaças), ambas da cultura mexicana.

No seu estúdio, na Barbearia Descendentes do Erro, no Gopoúva, não há lugar para tatuagens em menores, mesmo com autorização e acompanhamento dos pais. Os pigmentos utilizados são dermatológicos e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Electric Ink.

E a maior preocupação de quem vai fazer a primeira tatuagem, que é a dor? Diante da pergunta, “Limnha” não pensa duas vezes e responde: “Essa questão envolve muito o psicológico e a leveza da mão do profissional e precisão na perfuração da pele, mas garanto que é uma dor suportável”.

Serviço

Barbearia Descendentes do Erro
Estúdio “Liminha”
Rua Cônego Valadão, 536, Gopoúva
Telefones: (11) 9.8608-6170 (Tattoo) e 9.4638-5707 (Barbearia)

Orientações antes da tattoo

  • Pensar bem no desenho escolhido, analisando se ele faz sentido ou tem algum significado para sua vida;
  • Tomar um café da manhã reforçado ou um almoço balanceado (se a tattoo for feita no segundo turno), evitando comidas gordurosas;
  • Evitar bebida alcoólica (o que garantirá uma pigmentação melhor);
  • Preparar bem o psicológico.

Orientações depois da tattoo

  • Cuidar da tattoo com pomada cicatrizante;
  • Evitar banhos de piscina ou de mar;
  • Evitar exposição ao sol;
  • Tomar banho frio ou morno;
  • Utilizar sabonete neutro.