Ministro da educação pede demissão do cargo

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Após o escândalo do “gabinete paralelo”, no MEC comandado por dois pastores evangélicos sem cargo oficial do governo, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu exoneração  durante uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, na tarde desta segunda-feira (28).

A expectativa era, inicialmente, que o ministro fosse licenciado do MED durante as investigações do caso, porém a licença foi negada por questões jurídicas. O secretário executivo, Vitor Godoy Veiga, também atual número 2 do ministério, deve assumir o cargo.

A troca deve ser efetivada até o fim da semana, assim que os demais ministros do governo que disputarão as eleições terão que deixar seus cargos, como exige a legislação eleitoral.

- PUBLICIDADE -